As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cine PE (5)/Calunga para Espero Tua (Re)Volta

Luiz Carlos Merten

04 de agosto de 2019 | 23h30

Acabo de ligar para o Recife e peguei o resultado do 23º festival, que terminou agora há pouco. Espero Tua (Re)Volta, de Elisa Capai, venceu na categoria melhor longa. Gostei demais do filme, achei-o importante, mas não creio que será uma unanimidade. Elisa não apenas documenta as ocupações de estudantes secundaristas em São Paulo. Dá-lhes voz e faz seu filme no tempo, e no ritmo, da garotada. Um documentário pode ser clipado, acelerado? Pode, Espero Tua (Re)Volta é a prova. O filme narra – expõe? – uma disputa de narrativas. No debate, quando lhe propus uma questão sobre a autoria, Elisa disse que se sente 100% autora do filme, mas que suas protagonistas, a Nayara e a Marcela, também dirão que o filme é delas. E é. Espero Tua (Re)Volta terá lançamento nos cinemas dia 15, mas a autora já avisou, no Cine PE, que esse lançamento é contratual, precisa ocorrer, mas a ideia é disponibilizar o filme para quem quiser ver, e debater, através do site da distribuidora Taturana. Forme seu grupo, inscreva-se, e veja. Mas prestigie o lançamento no cinema. Por sua linguagem, pela estrutura audiovisual, é filme para ver na telona. Cor de Pele, de Lívia Perini, sobre o garoto albino de Olinda, o Kauan, foi o melhor curta. Não assisti a todos os filmes concorrentes, mas são vitórias irretocáveis, no sentido de que são filmes fortes, que merecem. Ou me engano ou me disseram que Cor de Pele, com Apneia, de Carol Sakura e Walkir Fernandes, que venceu o prêmio do Canal Brasil, estarão em Gramado. Espero que estejam no festival de curtas da Zita Carvalhosa. São ótimos, mas não eram os únicos, na seleção quentíssima do formato, no Cine PE.

Tendências: