As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cannes (17)/ Sofia, Naomi e o Drive-2017

Luiz Carlos Merten

25 Maio 2017 | 12h38

CANNES – Tive hoje um dia glorioso aqui no 70.º festival. Pela manhã cheguei a pensar que ia dar tudo errado, porque descobri que batiam o horário do (Roman) Polanski – que tinha de ver para entrevistar, na sexta, Emmanuelle Seigner e Eva Green, Based on a True Story – com a entrevista, minha one a one, com Sofia Coppola, por The Beguiled. Não só consegui fazer as duas coisas, com algum remanejo, como Charles, o assessor da Sofia, dobrou meu horário com ela, o que me permitiu ficar conversando no jardim do Residéal, mais de meia hora com a filha de Francis Ford. Num festival como Cannes, isso é que se chama ter sorte. À tarde, entrevistei Naomi Kawase, por Em Direção à Luz, que Jean-Thomas, da Imovision, vai distribuir no Brasil e eu já digo que se preparem. Para o meu gosto pessoal é algo muito especial. essas mulheres maravilhosas. Conversamos sobre a Palma de ouro, e Jane Campion, por O Piano, continua a ser a única mulher, nesses 70 anos, a haver ganhado o prêmio. Já está na hora de Pedro Almodóvar quebrar essa tradição ‘masculina’ da prova, mas pode não ser fácil. Entre Sofia e Naomi vi o concorrente dos EUA, Good Time, dos irmãos Benny e Josh Safdie, com Robert Pattinson, que está excepcional como esse assaltante de Nova York que começa o filme roubando um banco com o irmão e, depois, corre contra o tempo, porque o maninho lesado vai preso, toma porrada e vai parar no hospital, e ele tenta, de todo jeito, soltá-lo. Só que, longe disso, enrola-se cada vez mais, de confusão em confusão. Pelos aplausos, pelo entusiasmo com que os críticos jovens estão falando do filme, acho que nasceu um cult. Pego carona no Rodrigo Fonseca, que comparou os irmãos ao Nicolas Winding Refn – Drive 2017? Passei no hotel para deixar algumas coisas e dar notícia. Pretendo emendar dois documentários (um sobre o crítico Jean Douchet e o outro, o novo Raymond Depardon) com o François Ozon, L’Amant Double. Na volta, dou mais notícias desse dia tão… Pleno?