As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cadê vocês?

Luiz Carlos Merten

07 de março de 2010 | 19h45

Eh, Merten, ninguém quis aproveitar a proposta de discutir o Oscar, mas nem um comentariozinho, nem os dos frequentadores habituais do blog, é um pouco demais. Como vocês não parecem interessados, vou me concentrar na cobertura da festa para o ‘Caderno 2’ e não postar nada. Aproveito também para desfazer um equívoco. Esses nomes terminam por me confundir. Quando escrevi os nomes dos roteiristas vencedores do Spirit, o Oscar dos independentes, bem percebi que estava me enganando. Michael H. Weber e Scott Neustadt levaram a estatueta por ‘500 Dias com Ela’ e eu fiz uma pequena confusão, como se o diretor Marc Webb, que entrevistei no Festival do Rio do ano passado, fosse o Weber. É  Marc Webb quem vai dirigir ‘Homem Aranha 4’ e gostaria que Joseph Gordon-Levitt fizesse o papel. Fui induzido ao erro um pouco pela sonoridade do nome – Webb/Weber -, mas também porque Marc, quando o entrevistei, me disse que fez algumas mudanças no tal roteiro. Ou seja, ele talvez pudesse ser creditado, mas preferiu deixar só a dupla com as honras da escrita de sua ótima comédia, muito melhor do que ‘Preciosa’, mas é a lógica perversa dos ‘indies’.  ‘500 Dias’ sequer foi indicado para o Oscar de roteiro original, uma burrada da Academia de Hollywood. Torço pelo Tarantino – com o Oscar de coadjuvante para Christopher Waltz, seria a outra barbada de ‘Bastardos Inglórios’ -, mas sei lá qual é o quiprocó que poderá deixar nosso amigo Quentin de fora, segundo vocês. Espero que não. Para mim, esses prêmios já são dele. ‘Moralmente’, pelo menos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.