As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As poucas surpresas foram boas no Oscar

Luiz Carlos Merten

24 Janeiro 2017 | 12h18

TIRADENTES – Tive de dar um break na Mostra por causa do Oscar. Estou no hotel. Assisti alive aso anúncio das indicações. La La Land concorre a melhor filme, diretor, ator, atriz, canção etc. City of light! Manchester está bem na parada com melhor filme, diretor, ator, ator e atriz coadjuvantes. Torcia tanto por Casey Affleck como pelo garoto Lucas Hedges. E a volta com glória de Mel Gibson – melhor filme, diretor e ator (Andrew Garfield) pelo poderoso Até o Último Homem, que estreia na quinta, 26, no Brasil. E os negros – filme (Cordas e Moonlight), diretor (Barry Jenkins), ator (Denzel Washington), ator coadjuvante (Mahershalas Ali). E as atrizes – Ruth Negga, protagonista, e Naomie Harris, Viola Davis e Octavia Spencer, três em cinco coadjuvantes. Meryl Streep cavou sua 20,ª indicação para melhor atriz e Isabelle Huppert poderia começar a treinar o discurso para não ficar abestalhada como no Globo de Ouro, mas agora vai ser mais difícil. Hoje, nesta terça, votaria no demyniano La La Land, em Damien Chazelle, Casey Affleck, Emma Stone, Lucas Hedges… Gostei das indicações. Só ficaria mais feliz se tivesse dado Aquarius.