As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Affonso, Pedro e Carne Trêmula

Luiz Carlos Merten

17 de setembro de 2020 | 10h35

Estava zapeando e, ao passar pelo Canal Curta!, ontem à noite, entraram as imagens de Dennis Quaid martelando o piano. Jerry Lee Lewis, A Fera do Rock. Jim McBride! Luz e Sombra, a série dedicada aos grandes fotógrafos do cinema brasileiro e seu episódio sobre Affonso Beato. O fotógrafo de Glauber, O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro. De Cacá, Orfeu e Deus É Brasileiro. De Jim McBride e Pedro Almodóvar. Numa coisa estamos de acordo, Affonso e eu. Ele também condidera Carne Trêmula o maior filme de Pedro. Gosto muito de Tudo Sobre Minha Mãe e Fale com Ela, mas confesso que só vacilei no ano passado, ao assistir a Dor e Glória. Puta filme! Mas o ‘meu’ Almodóvar é o de Carne Trêmula, seguido por A Pele Que Habito e, talvez, Julieta. O que me encanta em Carne Trêmula é que, sendo 100% almodovariano – e a paleta de Affondo Beato dá ao filme suas cores intensas -, a origem no livro de Ruth Rendell consegue tornar o igual, diferente. Mesmo as mais conhecidas obsessões de Almodóvar, estou falando de sexo e violência, amor e traição, adquirem um novo tom, ou são vistas por um outro viés. Javier Bardem já havia feito De Salto Alto com Pedro, mas era, principalmente, um ator de Bigas Luca – Os Amores (ou As Idades) de Lulu, Jamón Jamón, Huevos de Oro. Iniciou aqui sua grande fase – Antes do Entardecer, Segundas-Feiras ao Sol, Colateral, Mar Adentro, Onde os Fracos não Têm Vez, 007 Contra Skyfall, etc. Não creio que Liberto Rabal tenha feito outro filme com Almodóvar – não me lembro -, mas o carinha é f… E, embora o filme tenha Angela Molina e Penélope Cruz, a gente – eu, pelo menos – só tenho olhos para Francesca Neri, que, por sinal, já havia sido a Lulu de Bigas Luna. Esse Bigas Luna era uma figuraça. A PlayArte lançava os filmes dele. Entrevistei-o por todos, pelo telefone. Bigas sofria de insônia. Marcava de falar comigo às 10 ou 11 horas da noite do Brasil, alta madrugada na Espanha. E não eram conversas rápidas, dez ou 15 minutos. Por ele ficaríamos horas. Nesta quinta vou me dar um presente – rever Carne Trêmula, de olho na fotografia de Affonso Beato. Bigas Luna morreu de câncer, em 2013. Há sete anos! Morreu de madrugada, ele que (sempre?) viveu a chamada hora do lobo.