As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A Ricardo Darín, que faz 60

Luiz Carlos Merten

16 Janeiro 2017 | 12h55

MAR DEL PLATA – Deve estar no online do Estado. Ricardo Darín completa hoje 60 anos. Fiz um texto comemorativo, com direito a galeria de filmes. Darín nasceu em Buenos Aires, em 16 de janeiro de 1957, filho de atores. O pai é Ricardo, como ele – seria o ‘júnior’, mas depois que ficou famoso virou único. Aos dez, já estava no palco – en las planchas, como se diz por aqui. Aos 22, em Las Carpas del Amor, de 1979, integrava grupo de jovens que desafiava a ditadura com uma banda libertária de rock. Mas estava escrito que Darín teria de esperar. Como certos astros de Hollywood no passado, como o vinho, ficou melhor com o tempo, com a cara marcada. O biênio 2000/2001, quando já havia passado dos 40, viu-estourar com Nove Rainhas e O Filho da Noiva. Não parou mais de filmar, virou a cara do novo cinema argentino. Quer dizer – há controvérsia. Os novíssimos autores já o consideram um fóssil, um ícone do cinema comercial. Queixam-se que é cada vez mais difícil produzir na Argentia, se ele não estiver no elenco. Mas é uma bela carreira, com certeza – depois de El Hijo de la Novia, Juan José Campanella foi seu parceiro em O Clube da Lua e O Segredo dos Seus Olhos, que ganhou o Oscar. E ele fez todos aqueles filmes – Kamchatka, Conto Chinês, Truman, Relatos Selvagens. Darín foi até codiretor – de O Sinal, em parceria com Martin Hodara. Justmente Hodara assina Nieve Negra, que estreia na quinta, 19. Espero ter tempo de ver, antes de retornar ao Brasil, na própria quinta. Por aqui, Nieve Negra está sendo apresentado como ‘el estreno del verano’. Dois irmãos, Darín e Leonardo Sbaraglia. Quando jovem, Darín foi acusado de provocar uma morte na família. Isolou-se do mundo – na Patagônia. E agora chegam o irmão mais novo e a mulher, para convencê-lo a vender a propriedade que herdaram. Levo fé de quer o filme seja bom. Na vida, Darín tem esse filho, Chino, que virou objeto de desejo de 11 entre dez pessoas que conheço, sejam homens ou mulheres. Mas o pai segue imbatível. E Ricardo está ‘en contra’ Donald Trump. Na sexta, 13, deu uma entrevista que repercutiu bastante por aqui, dizendo que ‘con ese señor (Trump), le vamos a tener complicaciones’. Darín não é o único que pensa assim. Grande Ricardo. Que le vayan bien, sus 60.