As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

12!

Luiz Carlos Merten

03 de maio de 2013 | 10h29

RIO – Amizade à parte, e Betse de Paula sabe que a adoro, achei excessiva a superpremiação de Vendo ou Alugo no 17.º Cine PE, que terminou ontem à noite. Foram Calungas demais – 12! Fui, desde a primeira hora, logo após a projeção, um defensor do filme de Betse, antes que muitos coleguinhas, no dia seguinte.mudassem de opinião, liberados por Jean-Claude Bernardet, citado por Luiz Zanin Oricchio, para finalmente lançar outro olhar sobre a onda de comédias que assola o cinema brasileiro. Continuo achando que o que faz a diferença em Vendo ou Alugo é justamente a mise-en-scène de Betse, que dispõe, pela primeira vez em sua carreira, de meios, facilitados pela produtora Marisa Leão. Fazer um filme, e uma comédia, em planos sequências é uma ousadia com a qual, ou na qual, Betse se sai muito bem. E o elenco ajuda, claro, todas aquelas mulheres maravilhosas. Mas praticamente ignorar Bonitinha, e principalmentre a atuação de Leon Goes como Peixoto, beira a ofensa. É uma das maiores interpretações da história do cinema brasileiro, como é que aquele júri não percebeu isso? Eu, se o integrasse, teria incorporado Luis Fernando Verissimo e usado a terapia do joelhaço do analista de Bagé para garantir o Calunga de coadjuvante para Leon, mesmo reconhecendo que o garoto do filme da Betse (Pedro Monteiro) é bem bom. Gosto da animação vencedora, mas ‘meus’ curtas no Recife foram O Fim do Filme e  Aluga-se. Enfim, mesmo não concordando com a premiação – mas o júri é soberano-, quero deixar claro que os debates, este ano, foram ótimos, e enriquecedores. Os debates foram bons até quando os filmes não eram. Celso Sabadin, pegando carona nesse elogio que fiz lá mesmo, pediu que as coletivas do Recife de alguma forma fossem disponibilizadas e o André, da Palavra (a assessoria do festival) informou que existem planos para que os debates entrem na rede, ao vivo, em tempo real. Já pensaram? Seria muito bacana, e uma inovação e tanto do evento de Sandra e Alfredo Bertini.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.