As areias da ampulheta: atrasados e pontuais (Parte 2)

Leandro Karnal

19 Dezembro 2016 | 10h41

O pontual é mais pessimista: leva em conta que tudo pode dar errado. O atrasado é dotado de incorrigível otimismo: supõe que chegará ao ponto no instante que o ônibus se aproximar e que não existirá trânsito. Isso torna o pontual mais tenso e um pouco mais duro com o mundo. Os atrasados crônicos, por vezes, são mais leves. Não querem ensinar nada a ninguém. O pontual é mais pedagógico. O retardatário canta: “deixa a vida me levar, vida leva eu…”

Continue lendo