Temporadas (3): e a ópera?

João Luiz Sampaio

22 de novembro de 2011 | 12h09

No post dedicado à temporada da Osesp, Felipe pergunta sobre a programação de óperas em 2012. O fato é que ainda nada está confirmado. O Municipal, imagina-se, deve vir com temporada forte – ao menos é o que se espera dele. Depois da “Valquíria”, o “Anel” completo? Ao que tudo indica, ainda não, mas nos bastidores do teatro já se fala na realização de “O Crepúsculo dos Deuses”, a última ópera da tetralogia, o que seria boa notícia e manteria vivo o sonho do ciclo completo. No São Pedro, fala-se em um “Trovatore” para abrir o ano, mas o teatro está no meio de mudanças estruturais da Secretaria de Estado da Cultura e, portanto, ainda não se sabe ao certo qual será seu futuro, ainda que a ópera, ao que parece, deva ser mantida como atividade principal do espaço – o que é importantíssimo. Não há nenhuma confirmação ainda sobre temporadas de Municipal do Rio e Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Manaus tem ao menos um título totalmente confirmado: “Lulu”, de Alban Berg, que dividiria a programação com uma nova produção de “A Flauta Mágica”, de Mozart (em 2013, teremos “Parsifal”, de Wagner). Ah, não podemos esquecer também que está marcado para o próximo ano o retorno da Cia. Brasileira de Ópera, agora com “Madama Butterfly” e direção musical de Isaac Karabtchevsky. E, por enquanto, é isso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: