Teatro Municipal será reaberto em abril, com reforma da fachada e do palco, garante secretaria

João Luiz Sampaio

01 de outubro de 2010 | 19h32

Em mensagem enviada agora há pouco por conta do último post, a Secretaria Municipal de Cultura esclarece alguns pontos. Reproduzo abaixo o texto:

“As obras de restauro e conservação das fachadas e ala nobre do Teatro Municipal de São Paulo foram amplamente visitadas e noticiadas pela imprensa, inclusive pelo caderno Metrópole do jornal O Estado de S. Paulo. As obras de restauro e conservação das fachadas e ala nobre do Teatro Municipal de São Paulo terminam no final do mês de outubro. A obra, iniciada em 2008, está sendo realizada com recursos do BID e Prefeitura de São Paulo ao custo de R$ 7,1 milhão. O contrato com a empresa que irá realizar as obras de modernização das operações do palco e acústica do Teatro foi assinado em agosto e a obra será concluída no início do ano que vem. O custo é de R$ 13,2 milhões e a empresa que irá executar o trabalho é a Técnicas Eletro Mecânicas Telem. A reabertura do Teatro Municipal está prevista para abril do ano que vem, como já foi amplamente noticiado, e não no segundo semestre como você afirma. Como já foi noticiado, o projeto de lei que transformará a administração do Municipal em Fundação de Direito Público e criar uma Organização Social (OS), cujo conselho será presidido pelo secretário municipal de Cultura, está em fase de conclusão na Secretaria de Gestão e deverá ser encaminhado à Câmara Municipal para análise e votação. Como é sabido, os contratos de artistas do Teatro Municipal de SP são precários, deixando-os em situação vulnerável perante as leis trabalhistas. O próprio Ministério Público cobra da Prefeitura uma solução ao problema.”

Faço apenas duas ressalvas:

Falando daquilo que foi noticiado pela imprensa: matéria de junho deste ano, publicada pelo caderno Metrópole, informava “que o restauro da fachada do Teatro Municipal, previsto inicialmente para terminar em julho de 2009, atrasou 11 meses – agora a nova previsão é que termine no mês que vem. A reabertura, porém, está marcada apenas para julho de 2011, quando o novo palco estiver pronto”. Se as datas mudaram e a obra será terminada antes, melhor para o teatro e para o público. Em tempo: o maestro Alex Klein marca a abertura da temporada, em seu facebook, não para abril mas, sim, para março, com a Sinfonia nº 8 de Mahler.

Quanto à fundação, não se discute sua necessidade – que é debatida, e defendida, há varias gestões. Mas, como será o organograma dessa fundação? Como ela vai funcionar? Haverá um diretor artístico? Um diretor executivo? Quando o maestro Jamil Maluf deixou o posto de diretor artístico, um comunicado da secretaria dava conta de que seria um conselho o responsável pela programação; em junho, porém, novo comunicado dizia que haveria sim um diretor artístico; agora, então, voltamos à idéia inicial. Enquanto isso, o maestro Alex Klein, nomeado regente-titular da Sinfônica Municipal, afirma que assume a programação dos demais corpos estáveis. A pergunta fica: quem manda no que no Municipal?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.