Peter Hoffman, tenor (1944-2010)

João Luiz Sampaio

30 de novembro de 2010 | 14h34

Chega da Alemanha a notícia da morte, aos 66 anos, do tenor Peter Hoffman. Conhecido por suas interpretações das óperas de Richard Wagner, ele sofria do mal de Parkinson e estava longe dos palcos desde o fim dos anos 90. Roqueiro na adolescência, terminou a carreira interpretando musicais como “O Fantasma da Ópera”. É o trabalho com a ópera, porém, que o coloca na lista de grandes intérpretes da segunda metade do século 20. Entre muitas gravações e montagens, duas talvez sejam as mais conhecidas e lembradas – seu Siegmund no “Anel” do centenário, em 1976; e seu Tristão na gravação ao vivo de Leonard Bernstein. Era uma voz quente, abaritonada, capaz de explorar toda a gama expressiva da escrita wagneriana. E, em termos de verossimilhança, difícil pensar em um casal Siegmund/Sieglinde mais convincente do que o formado por ele e a soprano Jeannine Altmeyer.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: