Ópera no cinema…virou febre

João Luiz Sampaio

05 de outubro de 2009 | 16h50

Na sexta-feira, começa um pequeno festival nos cinemas de São Paulo com as montagens do Metropolitan Opera House, de Nova York. Tem coisas bem interessantes na programação. Das já exibidas, será repetida Madama Butterfly, com Patricia Racette e Marcelo Alvareza. As demais são inéditas: “Eugene Oneguin”, de Tchaikovski, “Dr. Atomic”, de John Adams, “La Bohème”, de Puccini, “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini, “A Filha do Regimento”, de Donizetti, e “I Puritani”, de Bellini (a programação você acessa aqui. Estou particularmente curioso para conhecer a ópera do Adams e para rever o “Oneguin”. Cada geração produz uma série de intérpretes para os grandes papéis do repertório, mas parece que há montagens que conseguem sintetizar o que há de melhor no cenário e tornam-se referências contemporâneas e também na história de interpretação de determinado título. Acho que é justamente o caso desse “Oneguin”, com excelentes interpretações da soprano Renée Fleming e do barítono Dmitri Hvorostovsky, regência de Valery Gergiev.

[kml_flashembed movie=”http://www.youtube.com/v/R6XB0HX9ILY” width=”425″ height=”344″ wmode=”transparent” /]

Além da série Met no cinema, está chegando um outro projeto que parece bem interessante: Ópera na Tela, a partir do dia 15. A programação se espalha por São Paulo, Belém e Manaus mas é no Rio que a programação é mais forte, com exibições ao ar livre de títulos como A Valquíria da Filarmônica de Berlim em Aix-em-Provence e montagens fresquinhas da Ópera de Paris, como “Macbeth”, de Verdi, e a “Mireille”, de Gounod. Além dos vídeos de montagens, palestras, masterclasses com diretores e filmes e documentários sobre ópera e música sinfônica.

A programação completa você encontra aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.