La Tragedie de Salome

La Tragedie de Salome

João Luiz Sampaio

27 de abril de 2009 | 16h48

[kml_flashembed movie=”http://www.youtube.com/v/xLP4EgOQ9yE” width=”425″ height=”344″ wmode=”transparent” /]

Vez ou outra a história da música enterra um compositor, sem que saibamos exatamente por que, até que algum intérprete redescobre sua obra e todos nos perguntamos onde diabos ela estava… Com o francês Florent Schmitt aconteceu algo parecido, apesar de que, olhando sua biografia, não é tão difícil entender o ocaso de sua obra. Nascido em 1870, Scmitt compôs obras importantes na primeira década do século 20. Entre as duas guerras, era um dos autores mais celebrados na França. Pouco depois, porém, assumiu a função de crítico musical no “Le Temps” – cruel em suas avaliações, dizem que chegava a berrar durante as apresentações seus comentários pouco lisonjeiros. Mas isso é o de menos: o que pesa muito em sua biografia é a colaboração com os alemães durante a invasão de Paris. De volta à sua música, basta lembrar que em certo momento Stravinsky assumiu ter sido influenciado por “La Tragedie de Salomé”, balé de Schmitt, ao compor “A Sagração da Primavera” (tudo bem que, anos mais tarde, o compositor russo mudaria de opinião sobre a obra do colega). No You Tube, há um vídeo em que a Sinfônica Nacional do Teatro Claudio Santoro, de Brasília, regência do maestro Ira Levin, apresenta La Tragedie. Dêem uma olhada.

Florent Schmitt (direita) com Villa-Lobos, em Paris

Tendências: