Jennifer Larmore, Osesp com Kristian Järvi, o blog de John Neschling e a rádio da ópera

João Luiz Sampaio

09 de junho de 2010 | 11h21

Estou há dias para postar aqui no blog mas, correndo que nem louco e tentando, no meio do caminho, tirar uma breve folga, acabei deixando o tempo passar. Daqui a pouco embarco para o Rio para conversar com a mezzo Jennifer Larmore, que canta a “Sinfonia Jeremiah” de Bernstein no Rio e em São Paulo, com a OSB. Mas, antes, queria falar um pouco do sensacional concerto de sexta-feira da Osesp. Na rede, os músicos da orquestra não pouparam elogios ao maestro Kristian Järvi – o spalla Emanuelle Baldini chegou a escrever que as apresentações da semana passada foram os melhores concertos sinfônicos da sua vida. O fato é que foi bom mesmo. Jarvi regeu Haydn, Bernstein e Stravinski. Fez, observando as especificidades das peças, a Osesp soar como três grupos diferentes. Há muito não via o grupo tocando com tanta claridade, com tanta atenção às dinâmicas. E a “Sagração da Primavera” foi histórica. Espantosa a leitura do maestro – e a maneira como a orquestra respondeu a ela. Os músicos sorriam e aplaudiam. E o público entrou na dança. Se o casamento com Tortelier anda passando por certa crise, Järvi parece ter relembrado a Osesp dos encantos da paixão e do arrebatamento. Antes de ir embora, duas coisas rápidas. O maestro John Neschling agora tem um blog, o Semibreves. E já está no ar, avisa Roque Citadini, a Rádio Ópera, com transmissões ininterruptas de grandes obras do repertório em gravações preciosas. Basta acessar aqui.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.