Instituto Odeon segue no Teatro Municipal de São Paulo por ‘tempo indeterminado’

Ale Youssef, novo secretário de Cultura, suspendeu denúncia contra a entidade para evitar paralisação das atividades, o que aconteceria no dia 9 de fevereiro; aos artistas da casa, Odeon fala em criação de um novo pacto

João Luiz Sampaio

22 de janeiro de 2019 | 15h20

O Instituto Odeon seguirá responsável pela gestão do Teatro Municipal de São Paulo por “tempo indeterminado”.

O antigo secretário municipal de Cultura André Sturm havia encerrado unilateralmente o contrato com a entidade e pedido a abertura de investigação a respeito de suas contas. Mas seu substituto no posto, Ale Youseff, resolveu suspender a denúncia.

Segundo nota da secretaria, o objetivo é que “não haja paralisação das atividades do espaço e a demissão dos funcionários, o que ocorreria em 9 de fevereiro”. A data era o prazo final para a saída do Odeon e para a entrada de uma nova organização social (OS), impossibilitada, no entanto, pela suspensão do edital de convocação proposto por Sturm, que acabou questionado e suspenso pelo Tribunal de Contas do Município.

Ainda segundo a secretaria, “enquanto analisa todo o processo, o secretário Alê Youssef solicitou relatório da Fundação do Theatro Municipal sobre processos e padrões internos de fiscalização e controle, e determinou que o Instituto Odeon publique imediatamente a prestação de contas no site para garantir transparência aos usuários e munícipes”.

O Odeon, por sua vez, fala em “repactuação” com a Fundação Teatro Municipal. Em texto distribuído aos artistas da casa, obtido pelo Estado, o instituto fala da decisão da secretaria, “que levará o instituto a continuar a gerir as atividades do Teatro Municipal por tempo indeterminado”. “O processo continuará a ser analisado pelos órgãos competentes. As atividades retornarão ao curso normal enquanto as tratativas serão revistas e repactuadas junto à FTM e a SMC. Em paralelo, todos os processos serão revistos. O Instituto se coloca aberto ao diálogo e disposto a construir uma relação sólida e transparente junto à Prefeitura de São Paulo. Brevemente agendaremos reuniões com as equipes e corpos artísticos para mais informações”.

Questionada pelo blog sobre o edital de chamamento para novas OSs, a secretaria informou que “já havia sido barrado pelo Tribunal de Contas do Município”. “Após avaliação do quadro geral pelo atual secretário, Alê Youssef, serão decididos os encaminhamentos futuros”, diz a resposta enviada por e-mail.