Giuliano Montini (1932-2010), delicadeza e virtuosismo

João Luiz Sampaio

19 Fevereiro 2010 | 15h57

Fico sabendo pelo portal do Estadão que morreu na quarta-feira de cinzas o pianista italiano radicado no Brasil Giuliano Montini. Recitalista que nunca deixou de frequentar as salas brasileiras ¬– assim como desenvolveu importante trabalho pedagógico – ele foi aluno de Magda Tagliaferro e Bruno Seidlhofer, em Viena. Atuava bastante em duo com a violinista Elisa Fukuda – e, com o violoncelista Peter Dauelsberg, formavam o Trio Dell’Arte. Com Elisa, aliás, lançou um disco precioso, com obras de Villa-Lobos, Brahms, Schumann e Claudio Santoro. A música de câmara, nas mais diversas formações, foi sem dúvida uma de suas especialidades, e rendeu momentos raros de beleza musical aos espectadores brasileiros. Minha grande lembrança de espectador, no entanto, foi sua atuação ao lado da Camerata Fukuda, em 2002, quando interpretou o “Concertino para Piano e Cordas” de Ronaldo Miranda, misturando delicadeza e virtuosismo com propriedade impressionante. Montini morreu em um acidente de carro, pegando todos nós de surpresa.