Enquanto isso, no Municipal…

Enquanto isso, no Municipal…

João Luiz Sampaio

06 de fevereiro de 2009 | 13h43

O Municipal do Rio começou o ano de seu centenário fechado para reformas. Ao todo, serão gastos R$ 60 milhões na obra da cúpula (que estava repleta de furos, o que criou um problema de infiltração), do palco (entre outras coisas, a reativação dos seis elevadores), da plateia (a troca das poltronas, que não serão mais de couro, substituído por material que favoreça à acústica) e da fachada, entre outras coisas. A previsão de conclusão é o início de julho deste ano, mas funcionários do teatro com quem conversei acham difícil que tudo esteja pronto até lá. A meta é poder reabrir o teatro no dia 14 de julho, exatamente cem anos depois de sua inauguração. Mas até agora não há nenhuma previsão de temporada ou mesmo do que seria esse concerto comemorativo.

Em tempo, vale relembrar a história da inauguração do teatro, em 1909. Uma companhia francesa foi chamada para abrir a programação, gerando críticas por parte da imprensa – por que não abrir o teatro, que pretendia ser o mais moderno do Brasil, com artistas locais? Às pressas,foi preciso improvisar um espetáculo com trechos musicais e de teatro, além de números de balé.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.