Duas vezes Osesp

João Luiz Sampaio

07 de maio de 2009 | 23h31

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo é temas de dois artigos da edição de junho da Grammophone. Na seção de lançamentos, Philip Clark elogia a gravação dos Choros nº 2, nº 3, nº 10 e nº 12, a última feita pelo maestro John Neschling antes de deixar a orquestra, em dezembro. “Neschling não tem competição nesse repertório e é nossa sorte que tenha completado o ciclo dos Choros antes o infeliz rompimento com a orquestra no começo deste ano”. Já na seção Musical Journeys, Robert Hilferty narra a abertura da temporada deste ano do conjunto, recupera sua história recente, elogia a escolha de Tortelier como regente-titular e afirma: “A orquestra e seu conselho tem razões justificadas para as aspirações de se tornar mais reconhecida no cenário internacional. Eles com certeza têm os meios e só devem melhorar na próxima década. Sob a liderança correta, tenho certeza de que ouviremos muito mais sobre a São Paulo Symphony”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.