Diário (musical) de Londres – 5 / Aldeburgh

Diário (musical) de Londres – 5 / Aldeburgh

João Luiz Sampaio

16 Agosto 2012 | 13h01

O diário deixa Londres por um dia e, duas horas de viagem depois, subindo em direção ao leste, cheguei a Aldeburgh, no condado de Suffolk. Aqui, hoje à noite, a Osesp faz o segundo concerto de sua turnê europeia. O solista agora é o violoncelista Antonio Meneses, que toca o Concerto para Violoncelo, de Dvorak – a noite começa com a Abertura Concertante de Camargo Guarnieri e termina com a “Sinfonia n. 4” de Tchaikovsky. Aldeburgh é uma cidade de pouco mais de dois mil habitantes, na costa leste da Inglaterra. Entrou para o mapa da música inglesa porque foi aqui que o compositor Benjamin Britten e seu parceiro, o tenor Peter Pears, criaram um festival de música, que atualmente é realizado no Snape Malting Auditorium. Caminhei agora pela cidade, na verdade pouco mais de uma não tão longa avenida. Há uma galeria Peter Pears, mas até onde pude perceber não expõe nada relacionado ao tenor – apenas peças de ouro, bronze e prata de gosto duvidoso. A paisagem, enfim, é curiosa, uma longa faixa de praia de pedras, pequenos navios de madeira espalhados pela orla, onde se vende peixe fresco à vontade. Dizem que há um restaurante na cidade que faz o melhor “fish & chips” da Inglaterra. Será? Para não deixar passar em branco o “Britten mood”, me peguei lembrando da sombria ópera “Peter Grimes”, baseada no poema “The Borough”, de George Crabbe, poeta da passagem do século 18 para o 19 nascido aqui em Aldeburgh. Há, aliás, planos para uma montagem da obra na praia, aqui mesmo, no ano que vem, por conta do centenário do compositor.