Diário de Salzburg: no ensaio da Filarmonica de Berlim

Diário de Salzburg: no ensaio da Filarmonica de Berlim

João Luiz Sampaio

29 de agosto de 2010 | 07h15

O maestro Simon Rattle, diretor da Filarmonica de Berlim/Divulgacao

O maestro Simon Rattle, diretor da Filarmonica de Berlim/Divulgacao

Acabo de chegar do ensaio que a Filarmonica de Berlim fez agora pela manha com o maestro Simon Rattle. É um programa ambicioso, que tem as Quatro Últimas Cancöes de Strauss e Webern (Seis Pecas para Orquestra), Schoenberg (Cinco Pecas para Orquestra) e Berg (Tres Pecas para Orquestra). A solista do Strauss, Karita Mattila, nao chegou ainda a Salzburg e por isso ficou fora do ensaio, decepcionando quem estava louco para ouvi-la cantar (sim, tö falando de mim mesmo). No restante das pecas, foi estimulante ver Rattle construindo a interpretacao nos detalhes, fazendo os músicos repetirem à exaustao algumas passagens em busca de equilíbrio entre os naipes e, principalmente, precisao sonora. E soltando comandos como “Este silencio precisa ser mais ensurdecedor”, no Webern, preparando a parada da orquestra após a explosao da percussäo; ou “Por que entregar este esboco de melodia se podemos simplesmente insinuá-lo?”.

Tudo o que sabemos sobre:

filarmônica de berlimsalzburgsimon rattle

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: