Alex Klein é o novo regente-titular da Sinfônica Municipal. Ou é diretor artístico?

João Luiz Sampaio

01 de outubro de 2010 | 16h43

A Secretaria Municipal de Cultura anunciou hoje em e-mail enviado à imprensa que Alex Klein é o novo regente-titular da Orquestra Sinfônica Municipal. Ele substitui o maestro Rodrigo de Carvalho, que deixa o posto em meio a uma crise no relacionamento com os músicos, deflagrada no final do primeiro semestre, quando os instrumentistas pediram troca no comando da orquestra. A notícia rompe o silêncio com que a secretaria e o teatro, que insistiam em dizer que tudo estava bem, vinham tratando o caso. O nome de Klein estava na lista tríplice preparada pelos músicos e adiantada pelo “Estado” em junho. Sua contratação é um passo adiante na tentativa de solução do imbróglio que se tornou nos últimos dois anos o Municipal – programação esvaziada, nada atraente, uma reforma interminável sobre a qual se sabe pouco e um novo plano de gestão que, em um primeiro momento, excluía a função de diretor artístico e, agora… bom, não se sabe ao certo. Fato é que se Klein será regente-titular, ainda falta definir quem vai cuidar da programação artística como um todo, levando em conta os demais corpos estáveis e suas temporadas. A Secretaria promete para este ano ainda a divulgação da temporada 2011, a do centenário do teatro. Ao que tudo indica, ela começa apenas no segundo semestre, para quando está prevista a conclusão da reforma.

Uma atualização, que bagunça ainda mais o que eu já havia falado aí em cima. Em sua página no facebook, Alex Klein escreve: “I am now the music director of the São Paulo City Symphony/Opera Orchestra. Its a misleading title, as I inevitably also carry the weight and need to consider the best interests of 2 orchestras, 2 choirs, a ballet, a ballet school, an 800-student music school and a fabulous string quartet. I look forward to working with my new colleagues for our centennial season now in 2011.” Traduzindo: ele basicamente foi nomeado para o posto de regente-titular de uma orquestra do teatro mas assume as funções de diretor artístico. É isso?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: