‘Videogame, A Evolução da Arte’, de João Varella, é um acréscimo importante à bibliografia sobre games
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Videogame, A Evolução da Arte’, de João Varella, é um acréscimo importante à bibliografia sobre games

O livro será lançado nesta terça-feira, 4 de fevereiro, na Sala Tatuí, que também é a sede da editora Lote 42, a partir das 19h

Guilherme Sobota

04 de fevereiro de 2020 | 07h15

O novo livro do editor multi-plataforma João Varella traz uma provocação logo no título: Videogame, A Evolução da Arte.

Para os puristas e para os pouco afeitos aos games, a discussão pode ser apenas irritante; para quem já segurou um controle na mão e sentiu alguma coisa olhando para a tela, porém, o livro é um bem-vindo acréscimo a uma bibliografia escassa sobre o assunto.

O livro será lançado nesta terça-feira, 4 de fevereiro, na Sala Tatuí (Rua Barão de Tatuí, 302, sala 42, São Paulo), que também é a sede da editora Lote 42, a partir das 19h. O evento com entrada gratuita terá uma breve fala do autor, “Videogames e política, cruzamentos improváveis”, e depois jogos serão projetados no prédio do outro lado da rua.

Capa do livro 'Videogame, A Evolução da Arte'

Capa do livro ‘Videogame, A Evolução da Arte’ (Lote 42)

Em linguagem jornalística, o autor viajando por diversos momentos dos games. Desde a criação de Pong (em 1972), passando pela revolução de Super Mario Bros. (1985), pela revolução cibernética de Starcraft (1998), pelas microtransação de Candy Crush Saga (2011) e chega aos dias de hoje, com a realidade aumentada de Pokemón Go (2016) — entre diversos outros títulos e momentos.

“Tal como qualquer arte nascente”, explica o autor no prefácio do livro, “o videogame se apoia em práticas de outras esferas artísticas: música, desenho, atuação, literatura, dança (é preciso mexer muito mais que os dedos em JUST DANCE, WII SPORTS…), cinema, arquitetura, artes visuais, entre muitos outros. É uma arte total, e cada jogo retratado neste livro toma emprestado técnicas de outras mídias. Há títulos que executam mal alguns desses quesitos – vide as prosaicas dublagens de RESIDENT EVIL, para citar um exemplo óbvio. De vez em quando, por limitação técnica; de vez em muito, por pouca criatividade ou por pura inaptidão. Não é porque se trata de um campo artístico, que se evoca a palavra arte, que tudo passa a ter qualidade”.

Com análises e explicações que devem satisfazer tanto o jogador mais frequente como os neófitos no meio, além de um caderno de imagens que mostra de maneira muito clara como o livro faz um panorama compreensivo de uma — arte — em profunda transformação e desenvolvimento.

O editor e jornalista João Varella. Foto: George Leoni

Lançamento do livro Videogame, a evolução da arte

Quando: 4 de fevereiro (terça), a partir das 19h
Onde: Sala Tatuí – Rua Barão de Tatuí, 302, sala 42 (quarto andar, acesso por escadas)
Quanto: entrada gratuita. O livro custa R$ 50
Classificação etária: livre.

Tudo o que sabemos sobre:

Literaturavideogame

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: