42.ª Mostra de Cinema de São Paulo: ‘O Mau Exemplo de Cameron Post’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

42.ª Mostra de Cinema de São Paulo: ‘O Mau Exemplo de Cameron Post’

No filme, protagonista é enviada para um acampamento de 'deseducação', ou conforme foi apelidado no Brasil da Idade Média, de 'cura gay'

Guilherme Sobota

20 Outubro 2018 | 22h22

Descobrimos que é 1993 em O Mau Exemplo de Cameron Post (The Miseducation of Cameron Post) quando o reverendo Rick (John Gallagher Jr., de The Newsroom) inspeciona a bagagem de Cameron (Chloë Grace Moretz numa bela atuação) e encontra uma fita cassete de Last Splash, o disco do The Breeders. “Acho que os Breeders não estão cantando em louvor a Deus, estão?”, ironiza o pastor.

No filme, um dos destaques da Mostra, Cameron é enviada para um acampamento de “deseducação”, ou conforme foi apelidado no Brasil da Idade Média, de “cura gay”, por seus guardiões legais — cristão conservadores do norte dos EUA em busca não de filhos/enteados, mas de bonecos automatizados para cumprir os sonhos e projeções deles, pais, bem como as regras de heteronormatividade que, como explicou João Silvério Trevisan num texto recente para o Suplemento Pernambuco, “lhes parece natural, apesar de imposta e mantida a todo o custo”.

Cena de ‘O Mau Exemplo de Cameron Post’

Misto de ensino médio com grupo de jovens, o acampamento é comandado pela “vilã da Disney que não deixa você se tocar” Lydia (Jennifer Ehle) e por Rick, um “ex-gay” que parece mais confuso do que muitos dos adolescentes ali internados.

Porque a beleza do filme — cuja energia emocionante e esperançosa está muito acima da premissa abusiva e autoritária do acampamento — repousa no fato de que o que vemos na tela são pessoas complexas, e por isso vivas, relacionáveis.

A personagem principal estabelece laços com Jane (Sasha Lane) e Adam (Forrest Goodluck) e com eles aprende a preencher o seu próprio “iceberg” — um dos métodos do campo para desvendar a “SSA” (same-sex attraction) de cada um.

Em um desenho de iceberg num papel, na parte de cima vão as questões mais superficiais, mas a de baixo solicita ao aluno uma lista de motivos mais profundos que o teriam levado à homossexualidade. Ausência/excesso de contato com os pais, admiração por talentos de outras pessoas do mesmo sexo e gosto por esportes estão entre as “razões” citadas pelos personagens.

Como num processo analítico, o trio consegue estabelecer nos mesmos “motivos” a base de uma resistência aos abusos do acampamento, entregando à diretora o que ela quer ouvir sem deixar de ser, afinal, eles mesmos.

Da jovem diretora americana Desiree Akhavan e inspirado num livro young adult de Emily M. Danforth (lançado aqui pela HarperCollins Brasil), O Mau Exemplo de Cameron Post trata de um assunto delicado sem nunca cair em soluções piegas ou oferecer sequências monótonas.

Num tempo de desonestidade intelectual e falta de tolerância gerais, o filme é tudo menos um mau exemplo.

Cotação: 4/5

Outras exibições na Mostra:

Dia 21/10
16:10 – CINEARTE PETROBRÁS 1
Dia 23/10
14:00 – ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – AUGUSTA SALA 1
Dia 25/10
17:30 – ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA – FREI CANECA 1