Tenho medo das musas pop turbinadas

Estadão

17 Novembro 2006 | 19h59

Nestes tempos estranhos em que modelos são vitimadas pela anorexia, uma das coisas que mais me intrigam no mundo da música pop é o distúrbio de imagem que cria cantoras turbinadas de um jeito tão estranho que fica difícil distinguir hoje quem é musa pop e quem é atriz pornô.

Neste ano, eu fiquei abismado com o que aconteceu com a Nelly Furtado. Há uns anos, entrevistei a cantora canadense. Era uma menina bonita, magrinha que só ela. Tímida, quase. Agora ela se transformou numa mulher mais sexy, às vezes fatal, com novíssimos contornos. E, aposto que em decorrência disso, vende muito, mais muito mais discos.

E vendendo mais discos aparece mais. Nesta semana, o jornal inglês Guardian vez uma entrevista em vídeo divertida com a moça. Para ver o vídeo, clique aqui.

Fora isso, eu resolvi fazer um “antes e depois”. Claro, eu prefiro o antes.

Na época de “I’m Like a Bird”

Hoje