Scale, Matthew Herbert

Estadão

20 de julho de 2006 | 22h38

Quando Matthew Herbert escolhe, entre as suas muitas peles, a de Herbert, ele libera o seu lado mais pop. Scale, que saiu faz pouco pela K7!, é um disco delicioso, bem diferente de sua última gravação como Matthew Herbert: o difícil de engolir Plat du Jour, só com samples relacionados a comida, da fome à obseidade. Em Scale, Herbert divide todas as composições com sua mulher, Dani Siciliano. Para mim, o mais interessante no disco é que ele faz uma atualização da dance músic black da virada dos anos 70 para os 80.Só que faz isso mas com muita elegância, sem cópiar.Por mais que, às vezes, faixas como Something Isn’t Right e The Movers and the Shakers pudessem muito bem estar num velho disco do Prince.

Nota: 7

Dá para baixar uma versão deThe Movers and the Shakers por aqui

Veja o que estão falando do disco no Metacritic

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.