Nas paradas, mas sem gravadora

Estadão

11 Janeiro 2007 | 19h26

Nos anos 80, na esteira do movimento punk, um florescimento de gravadoras independentes deu início à descentralização do negócio da música como vemos hoje nestes tempos de internet. Mas essas gravadoras levaram uns bons anos para emplacar sucessos nas paradas. Com essa acelaração brutal que vemos com a internet, uma banda surgida nas entranhas da web está prestes a entrar no disputado Top 40 britânico. Os moleques da banda Koopa, de Essex, que fazem um punk açucarado (para meus ouvidos que ainda se curvam à geração dos anos 70),devem romper no próiximo domingo essa barreira com o single internético Blag, Steal & Borrow, como afirma a BBC. Isso diz menos sobre a banda e mais sobre a parada britânica. Nos anos 80, os ingleses introduziram a parada indie (bem antes de indie virar um estilo), agora, a partir de janeiro, a parada passa a levar em conta os downloads de música. O futuro já chegou.