Hendrix na cítara

Estadão

04 de outubro de 2006 | 17h28

É difícil pensar que boas versões de músicas do Jimi Hendrix possam aparecer hoje. Ainda mais que alguém consiga ir além do fraseado original de Hendrix, que praticamente reinventou sozinho o som da guitarra elétrica. Mas é sempre saudável se arriscar em território tão conhecido e pantanoso. E é isso que o Marsicano Sitar Experience consegue fazer agora com o álbum Sitar Hendrix.

Marsicano é bem conhecido aqui em São Paulo, tanto no círculo dos que cultivam a música indiana e a poesia (ele é um ótimo tradutor) quanto por quem andou pelas raves desde o fim dos anos 90. Depois de experimentar com projetos eletrônicos, ele agora volta com esse trio de cítara, baixo e bateria para recriar músicas de Jimmi Hendrix. É como se fosse o Experience original, mas com a cítara tomando o lugar da guitarra.

O disco fica interessante justamente porque respeita o espírito do guitarrista sem ser literal. Fazendo um paralelo com a poesia, o que trio faz não são traduções, mas “transcriações” da obra de Hendrix. E aí entram tanto músicas que ficaram famosas com o Experience, como as da fase exploratória da Band of Gypsys. Assim, encontramos neste Sitar Hendrix versões para clássicos como “Purple Haze”, “Fire”, “Spanish Castle Magic”, “Little Wing”, mas também criações poderosas de canções de alta octanagem psicodélica como “Voodoo Child”, “Machine Gun” e a minha preferida, “Third Stone from the Sun”.

O disco ainda não saiu no Brasil, mas já pode ser baixado no eMusic.

Nota: 7

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.