Vamos ser os melhores clientes?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vamos ser os melhores clientes?

Cris Berger

20 de julho de 2020 | 03h00

Quem tem cachorro sabe que o único defeito deles é viverem tão pouco. Por isso, sempre quis passar o máximo de tempo possível com os meus. Com a Ella, alcancei o ápice dos sonhos, pois fazemos tudo juntas. A boa notícia é que os pets, cada vez mais, são bem recebidos em locais antes frequentados apenas por clientes humanos.
E, agora, vem a pergunta que não quer calar: o seu pet sabe se comportar em um local público? Latir, fazer xixi, pular e até mesmo rosnar não são comportamentos que podem acontecer dentro de um restaurante. Caso seu cão não seja naturalmente educado, saiba que tudo é uma questão de treino. E, se necessário, adestramento.

A Ella já se habituou ao tapetinho. Foto Cris Berger/Guia Pet Friendly

Respeite o quadrado do vizinho
Pense que vocês estão dividindo espaço com outras pessoas e que o seu direito acaba quando começa o delas. Ninguém quer um cachorro latindo ou uma criança gritando durante um almoço, certo? Tampouco sentir cheiro de xixi ou pisar em um cocô. E muito menos correr o risco de ser mordido. Portanto, ao pensar no vizinho, sabemos como agir.
Passeio prévio
Antes de chegar ao restaurante, leve seu pet para fazer suas necessidades fisiológicas. Se ele tiver muita energia, primeiro vá ao parque ou dê uma volta mais longa. Ele deve chegar cansado. Também leve um brinquedo que ajuda a distrair.
Onde sentar
A dica de 1 milhão de dólares é: acostume seu pet a se deitar em cima de um colchonete e ali ficar. Ao chegar no local pet friendly, estude o cenário e busque uma mesa mais reservada, coloque o colchonete ao lado da sua cadeira, fora do rota de passagem de outros clientes e garçons, e dê o comando de ele deitar.
Comece esse treino em casa e não espere que ele obedeça na primeira tentativa. Repita até acatar a sua ordem. A Ella, minha sharpei, que divide a coluna comigo, levou seis vezes. Hoje, eu estendo o colchonete e ela já deita, não preciso falar nada. Tornou-se hábito.
Primeiras vezes
Caso seu pet esteja debutando nesse mundo, comece com saídas mais curtas. Fuja de um domingo ao meio-dia, quando o movimento tende a ser mais intenso. E não desista de forma alguma: com amor e determinação, tenho certeza de que é possível. E, de novo, se for preciso, contrate um comportamentalista animal.
Na coluna da semana que vem, vamos falar sobre como agir dentro de um hotel. Para que os locais sejam pet friendly, nossos pets precisam ser educados, porque fofos eles já são, né?

Tudo o que sabemos sobre:

pet friendlyanimal de estimaçãocachorro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.