Moradores de rua e seus cães
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Moradores de rua e seus cães

Cris Berger

31 de maio de 2021 | 03h00

Em 2012, o fotógrafo Eduardo Leporo, foi contratado para fazer uma campanha publicitária com cachorros e fez alguns pet books – aquelas fotos bem produzidas que postamos nas redes sociais.
Ele achou curiosa e fascinante a relação de amor entre uma pessoa e seu cão e pensou como isso seria com quem mora nas ruas. Veio a vontade de saber mais: por que aquelas pessoas estavam ali? E porque dividiam o pouco que tinham com um animal? Assim, pegou sua câmera e saiu pela capital paulista.

Distribuição de ração, cestas básicas e agasalhos fazem parte do projeto itinerante

Três anos depois, Edu lançou seu primeiro livro com fotos e relatos e emplacou uma exposição de fotos no Museu da Imagem e do Som (MIS). E transformou a curiosidade no projeto social Moradores de Rua e Seus Cães (MRSC).

Uma vez por mês, o projeto realiza edições itinerantes com doação de comida, remédios, roupas e oferecem a oportunidade de um banho com água quente para pessoas que vivem nas ruas e seus cães. Durante a pandemia foram distribuídas 4 mil cestas básicas, incluindo rações. No ano passado foram distribuídas 10 mil refeições e castrados 500 cachorros – a meta para este ano é chegar a mil. As ações ocorrem em bairros diferentes de São Paulo a cada mês.

Ao longo dos anos, o projeto se expandiu e hoje também atua em outras cidades do Estado de São Paulo, como Osasco e na Baixada Santista, além de Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Natal (RN), Recife (PE), Fortaleza (CE), Aracaju (SE) e Goiânia (GO).

O MRSC ganhou certificado Phomenta, que dá a ele a chancela de estar adequado às normas do Terceiro Setor e em dia com as prestações de contas com o Ministério Público. Mas apesar do sucesso do projeto em números, ainda há dificuldades financeiras. “Não adianta ter uma Kombi cheia de adoções e não ter dinheiro para colocar gasolina”, explica Eduardo.

A essa altura da coluna, você deve estar se perguntando, como podemos ajudar? Há algumas opções: seja voluntário nas edições, compre cestas básicas, ajude a pagar as castrações… É possível ver outras possibilidades no site do projeto: moradoresderuaeseuscaes.com.br.

É JORNALISTA, FOTÓGRAFA E AUTORA DO GUIA PET FRIENDLY

Tudo o que sabemos sobre:

animal de estimaçãosão paulo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.