Como lidar com filhotes arteiros?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Como lidar com filhotes arteiros?

Cris Berger

13 de setembro de 2021 | 03h00

Você tem um filhote em casa que está destruindo tudo e mais um pouco? A nutricionista Luciana Vieira acaba de receber a golden Pipoca, que tem virado sua casa de pernas para o ar. Inspirada nela, procurei a comportamentalista animal Halina Medina da plataforma Tudo sobre Cachorros, que acaba de bater a marca de um milhão de assinantes em seu canal do YouTube, para nos ensinar a como transformar as “Pipocas” em cães equilibrados.

A golden Pipoca, cheia de energia: é preciso paciência com os filhotes. Foto Arquivo Pessoal

Halina diz que o verbo “socializar” é o mais importante nessa fase. Até os quatro meses de vida, o cérebro do cachorro é uma folha em branco. Portanto, está em suas mãos a missão de apresentar a ele o maior número de referências possíveis. “Socialize com todos os tipos de estímulos. Barulho de aspirador de pó, ventilador, liquidificador e secador de cabelos. Pessoas brancas, negras, altas, baixas, em cadeiras de rodas e crianças. Ambientes lotados e barulhentos. Outros cachorros, gatos e animais.

Se ele demonstrar medo, faça essa apresentação de forma amena e associando com carinho ou petiscos. O que for apresentado para o cachorro nessa fase, será natural para ele no futuro”, ensina.
Paciência e perseverança são duas virtudes fundamentais para educar bem um filhote, que não sabe a diferença entre o que é dele e o que é seu. O sapato e o brinquedo são a mesma coisa. Tudo, absolutamente tudo, deverá ser ensinado.

O que você deve esperar? Filhotes choram nos primeiros dias. Eles não são agressivos, ou seja: rosnadas e mordidas fazem parte das brincadeiras. Dedique um tempo maior a eles: para que aprendam rápido, você deverá estar presente, pois o processo de aprendizado acontece a cada recompensa conquistada em forma de petisco ou carinho.

Comece restringindo as áreas nas quais o filhote pode circular, para diminuir a chance de acidentes como choques e quedas. Nunca brigue se ele fizer xixi ou cocô no lugar errado – recompense ao acertar, ignore ao errar. Compre brinquedos para filhotes, nem duros ou moles demais. Toda vez que ele pegar algo errado, substitua pelo brinquedo. Se estiver difícil (e se você puder), invista em um adestrador que use o método positivo.

Tenho um cachorro “fácil”. E, antes da Ella (minha sócia pet na coluna), tive o mais difícil. O amor é o mesmo. Lembre-se: educação é uma conquista renovada a cada manhã.

É JORNALISTA, FOTÓGRAFA E AUTORA DO GUIA PET FRIENDLY

Tudo o que sabemos sobre:

animal de estimação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.