Bica e Madá, humoristas caninas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bica e Madá, humoristas caninas

Cris Berger

17 de maio de 2021 | 03h00

Quando você pensa em um cachorro da raça pinscher, o que vem à mente? Latidos fininhos em série? Dentes afiados com o risco de uma mordidinha? Um cão pitoco com personalidade agitada? Pois essa descrição se encaixa perfeitamente na Bica. Ela e sua “irmã” Madalena – uma buldogue dorminhoca, gorducha e gente boa – têm números de dar inveja a muito digital influencer nas redes sociais.

Leo e a pinscher Bica: ‘Ela basicamente sou eu, fala o que pensa, curta e grossa’. Foto Arquivo Pessoal

Afinal, são quase 6 milhões de seguidores no Tik Tok, 550 mil no Instagram e praticamente 400 mil no YouTube. O humano que dá voz à elas é o criador de conteúdo formado em cinema Leo Bagarolo, que ao deixar a cidade de Artur Nogueira, no interior de São Paulo, para tentar a sorte na capital, comprou um cão de raça pequena para lhe fazer companhia. Ele não fazia ideia de que ela seria sua garota-propaganda e uma espécie de “test-drive” para sua carreira solo, que também entrega humor.

Segundo Leo, tudo começou na pandemia. Em casa, resolveu criar uma conta no Tik Tok, que estava em plena ascensão. Nos vídeos, ele dubla Bica e Madalena com uma “voz de pato” que ele usa desde a infância. De uma hora para a outra, 500 mil pessoas, na maior parte adolescentes, passaram a segui-lo.

Leo fez teatro por muitos anos. Com criatividade e sensibilidade, transforma o trágico em comédia e o cotidiano em terapia. “A Bica é uma extensão minha. Ela basicamente sou eu, fala o que pensa na lata, curta e grossa”, confessa Leo. Ele visivelmente se diverte ao criar as histórias, que contam com participações especiais de Lola, a gata de sua noiva.

A Mada e a Bica chegam para ditar tendência. Até eu estou treinando uma voz para a Ella, minha sócia pet aqui na coluna. Os cães-celebridades da atualidade são personagens que divertem ao falar com os seguidores – que crescem na velocidade da luz. Pode ser o humor que nos falta no dia a dia, em tempos tão pesados. “A Bica tem liberdade poética para ser mal-humorada. Ela coloca para fora, faz o que muita gente gostaria e não pode”, diz Leo.

Ele e sua turma de pets estão concorrendo ao prêmio Ibest, que premia os melhores produtores de conteúdo digital do Brasil. A votação é realizada pelo vote.premioibest.com. A primeira fase vai até 30 de maio. Meu voto eles já têm.

É JORNALISTA, FOTÓGRAFA E AUTORA DO GUIA PET FRIENDLY

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.