Anos após insulto homofóbico, Isaiah Washington consegue voltar a Grey’s Anatomy
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Anos após insulto homofóbico, Isaiah Washington consegue voltar a Grey’s Anatomy

Clarice Cardoso

07 de março de 2014 | 11h35

Clarice Cardoso

Desde que a atriz Sandra Oh anunciou que deixaria Grey’s Anatomy, a criadora Shonda Rhimes tem se dedicado a criar uma trama especial para que os fãs da dra. Cristina Yang possam se despedir devidamente de uma das personagens mais cativantes e importantes da longeva série médica. Isso implica voltar a alguns pontos da história que ficaram em aberto. Isso implica voltar ao seu relacionamento com o dr. Preston Burke, vivido por Isaiah Washington, que saiu de sopetão na terceira temporada.

A saída veio de um escândalo que aconteceu nos bastidores: durante uma discussão, Isaiah fez uma grave ofensa homofóbica a um colega no set (T. R. Knight, que até então não assumira publicamente ser homossexual). Isaiah conduziu a repercussão da história da pior maneira possível, e sua volta para a série tornou-se inviável. Seu personagem iria se casar com Cristina, e ele deixou-a no altar para nunca mais aparecer.

Até que ontem o canal norte-americano NBC anunciou que Isaiah reaparecerá como convidado especial num episódio de maio. “É importante para mim que a jornada de Cristina se desenvolva como deveria, e Burke foi parte vital dessa caminhada. Ele retorna para fechar um ciclo, e precisamos disso para podermos dar adeus da forma devida à querida Cristina Yang”, disse Rhimes em um comunicado. A frase de Rhimes faz sentido do ponto de vista da trama, mas é difícil engolir e aceitar de volta alguém tão preconceituoso…

A verdade é que, por mais que o dr. Preston Burke tenha sumido quando estava em alta, não fez a menor falta. Nas mãos de roteiristas menos hábeis, a série certamente desandaria: foram meses de engajamento e entrega emocional de Cristina e do público para ver aquele relacionamento se concretizar, e não foi só ela quem foi abandonada no altar, fomos todos os fãs.

Mas Shonda já se provou uma excelente escritora. E Sandra Oh, uma grande atriz (ganhou o Globo de Ouro pelo papel). Juntas, transformaram toda a dor e frustração numa energia vital que revolucionou Cristina e deu-lhe força, transformou-lhe numa das personagem femininas mais fortes da TV. Ou seja, no fim das contas, não só Isaiah não fez falta como fez um favor ao ir embora.

A volta do ator é controversa porque sua saída não foi nada elegante. Nos bastidores, tudo aconteceu como uma discussão no set quando ele fez um comentário homofóbico, usando uma palavra de baixo calão, dirigido ao colega de elenco T. R. Knight. Depois que a ofensa se tornou pública, o ator, que interpretava George, assumiu publicamente que era homossexual. Isaiah achou que estava tudo bem. Não estava.

Foi infeliz de novo quando, no tapete vermelho do Globo de Ouro de 2007, achou que era o momento de fazer piada com o assunto delicado. “Eu amo os gays. Eu queria ser gay. Por favor, deixem-me ser gay.” Ninguém gostou. Nas fotos com todo o elenco, que levou o prêmio de melhor drama, o desconforto de todos é visível — veja na imagem abaixo, da Entertainment Weekly, que destacou Isaiah e T. R. Knight  (e alguns atores publicamente tomaram as dores de Knight, acusando a falta de tato de Isaiah para lidar com o assunto).

Sem se dar conta que às vezes é melhor se desculpar e dar a coisa por encerrada, Isaiah lançou um comunicado dizendo que a culpa era de outro colega de elenco, Patrick Dempsey, que interpreta o dr. Derek Shepherd. Disse que, no fatídico dia no set, se irritou com um atraso de Dempsey e o xingamento “escapou”. É claro que, para se explicar, começou a usar todo tipo de xingamento para se referir a Dempsey, que é um dos protagonistas.

Em 2007, boatos até davam conta de que o Dr. Burke voltaria à tela, mas o canal ABC prontamente anunciou que o contrato de Isaiah não seria renovado e que ele estava fora de Grey’s Anatomy.

Qualquer pessoa de bom senso entenderia o recado, perceberia a burrada que fez, tendo sido expulso de um dos programas mais importantes da TV, e pararia por aí. Mas não Isaiah. Soltou muitos outros comunicados. Num, minimizava o trabalho de atuação e dizia que ia fazer caridade em Serra Leoa. No outro, jogava a culpa de tudo no racismo: se ele fosse branco, argumentava, teriam pegado mais leve. (Não estou nem de longe argumentando que não exista racismo na TV norte-americana, mas a criadora e showrunner de Grey’s Anatomy, Shonra Rhimes, é negra e é conhecida por convocar atores negros para suas produções. A mais recente é Kerry Washington que está na ótima Scandal.)

Como fã de Cristina, entendo a vontade de Shonda de amarrar as pontas soltas de suas histórias paralelas antes que ela vá embora. Mas tenho resistência em ver uma série tão importante dando uma segunda chance para um ator preconceituoso como Isaiah se mostrou. Até porque, na vida real, tantas e tantas histórias ficam em aberto…

Tudo o que sabemos sobre:

Greys AnatomyShonda Rhimes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.