A literatura brasileira no exterior

Estadão

04 de julho de 2012 | 14h34

Por Maria Fernanda Rodrigues

Quatro novos editais para a promoção da literatura brasileira no exterior devem ser publicados em agosto pelo Centro Internacional do Livro, novo órgão da Fundação Biblioteca Nacional que centraliza a política do livro e leitura do Governo, e serão apresentados na sexta-feira, 6, durante a 10.ª Festa Literária Internacional de Paraty.

Nesta quarta, 4, aproveitando que tudo ainda está tranquilo em Paraty, Vitor Ortiz, secretário executivo do Minc, e Galeno Amorim, presidente da Fundação Biblioteca Nacional, contaram as linhas gerais das ações.

O primeiro projeto prevê o apoio à publicação de brasileiros em países de língua portuguesa, em especial os africanos. A bolsa será no valor de US$ 6 mil e deve contemplar 12 obras.

Tradutores estrangeiros empenhados em verter autores daqui para seus idiomas poderão se inscrever no programa de residência. Eles terão R$ 15 mil para gastar com passagem, hospedagem e outras despesas que terão nas 5 semanas da imersão. Em contrapartida, tradutores daqui devem ser mandados para temporadas no exterior.

Nossos escritores também terão apoio para viajar e divulgar seu trabalho em outros países. Estão previstas 30 bolsas no valor de US$ 3 mil. A ideia é que além de traduzir e publicar os livros, as editoras promovam a obra convidando os autores para encontros com leitores.

O último programa compreende bolsas de US$ 8 mil para tradução de livros técnicos. A ação tem o apoio do CNPQ.

No total, a instituição prevê investimentos da ordem de R$ 76 milhões até 2020, e isso inclui as bolsas de tradução, a participação em feiras internacionais de livro, entre outras ações.

 

Tudo o que sabemos sobre:

literatura brasileira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.