As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Robert Pattinson – Ouça trechos da entrevista

Flavia Guerra

12 de novembro de 2012 | 20h10

A seguir, ouça principais trechos da entrevista que Robert Pattinson concedeu a esta blogueira em Los Angeles, para o lançamento de Amanhecer – Parte 2:

http://radio.estadao.com.br/audios/audio.php?idGuidSelect=2F80D75FF343478586837A50B59D2662

Confira a tradução trecho a trecho:

SOBRE PARATY
Paraty é incrível! A única coisa chata é que quando a gente estava filmando lá (Amanhecer – Parte 1) havia tantos paparazzi… Porque eu sempre penso em como posso voltar lá sem ser convidado…

Todos os pequenos restaurantes…Tipo as ilhas que têm só um restaurante…É tão legal!

SOBRE COMO SE SENTE SOBRE O FINAL DA SAGA

É engraçado porque as pessoas têm me perguntado isso desde o terceiro filme da saga (Eclipse). Como vou me sentir quando acabar…Eu não sei..

De alguma forma sim. Já foi bastante. Eu também sinto que… como os filmes foram lançados um muito próximo do outro… como se estivesse constantemente falando de Crepúsculo. E, sim, acho que é um bom final para a saga. Quando você faz cinco filmes da mesma série é muito!

Mesmo quando eu tinha 21, quando comecei (a filmar a saga), eu fazia o papel de um garoto de 17. E agora eu estou com quase 27. Chego ao poto de pensar 'Não sei mais a que conecto mais'. Não consigo me lembrar como eu pensava quando tinha 21. A gente faz algo completamente diferente, mas, na verdade, não pode se mover muito com o personagem porque ele (Edward) está preso a onde pertence.

SOBRE COMO SENTE A RESPONSABILIDADE DE SER UM EXEMPLO PARA OS FÃS

Tenho a mesma responsabilidade comigo mesmo. Eu quero ser bom provavelmente mais do que os fãs querem que eu seja. O fato é que os fãs do livro já têm uma opinião muito bem formada. E o que tento fazer é acrescentar algo de novo e surpreendente ao fazer um filme. Dar uma nova perspectiva é o que tento fazer.

SOBRE O QUE APRENDEU COM A EXPERIÊNCIA TODA

Difícil esta, mas é verdade. Acho que aprendi muito com o desenvolvimento do próprio personagem do Edward. Basicamente aprendi que na vida a gente não pode controlar tudo. E no filme ele aprende a ‘let it go’ (deixar ser, deixar estar) um pouco. E sua vida acaba ficando mais fácil. Esta é a grande lição que tirei, e apliquei nos últimos meses da minha vida, que não foram fáceis como você bem sabe. Acho que é algo significativo de se aprender. Não se pode apegar demais aos planos.

SOBRE COMO APRENDEU A NÃO CONTROLAR TUDO NA VIDA

É como filmar com um bebê. Você não pode fazer muito. Só siga o bebê. É muito mais divertido. Exatamente. Um bom exemplo de como aprender a não controlar tudo é filmar com um bebê. Não se pode controlar muito. É preciso ir de acordo com a vontade do bebê. E o mesmo vale para Ed. Quando ele só tinha a Bella, queria ter certeza de que tudo estava sempre bem. Quando o bebê nasce, entende que às vezes devemos agir por instinto e confiar. E isso é libertador.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.