Puck! O requeijão para inglês comer
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Puck! O requeijão para inglês comer

Flavia Guerra

22 de abril de 2009 | 23h24

Prólogo: Em resposta ao leitor samucaoboapessoa, devo dizer que língua não tem osso. Portanto, é maleável. E gosta de brincar no céu da boca de quem ama cantar sua canção do exílio em bom e alto português, mas que nem por isso abre mão do jogo de palavras e linguagem quando a tarefa é (ao menos tentar) traduzir o clima, a atmosfera e a geléia geral chamada Londres.

Londres

Puck. Ou ‘Requeijão para inglês comer”

ou

E por falar em geléia, o que tem mais gosto de ‘comfort food’ (algo como ‘comida lá de casa’, que dá conforto mesmo) para um brasileiro que está tentando se acostumar aos ‘n’ tipos de cheddar ingleses que o tradicional requeijão?

Não adianta apelar para o queijo-minas. Este não chega nem fresco nem curado. Não adianta procurar pelo tradicionalíssimo Poços-de-Calda nem pelas novas ‘grifes’ do ‘Brazilian cream cheese’. E muito menos se contentar com o queijo que domina 90% das prateleiras dos supermercados ingleses, o onipresente cheddar! Há cheddar fresco, meio-curado, muito curado, extra amarelo, envelhecido, ‘descansado’, temperado…. Mas requeijão, nem no Waitrose (o supermercado dos posh, ricos e famosos, não necessariamente nesta ordem, de Londres).

Mas, no exílio gastronômico, brasileiros de todas as classes, castas, cores e tamanhos encontraram um substituto (quase) à altura. O Puck!
Puck em inglês poderia ser traduzido como disco. Mas neste caso é a marca do ‘Requeijão para inglês comer’.

Na tarde ensolarada da quarta-feira londrina, na lojinha brasileira da Poland Street, quase na esquina com a lendária Oxford Street, o assunto era de suma importância para a manutenção da identidade nacional ‘brazuca’. Onde achar requeijão?

“Ora, na deli (delicatessen, ‘mercearia’) turca tem! O Puck! Eu não acreditava, mas não é que até parece com o nosso este tal requeijão turco?”, disse um brasileira que seguiu as dicas da amiga e testou o produto pela primeira vez.

“Mas não é turco! Tá escrito em árabe no rótulo”, rebateu a amiga, que sempre comprava a iguaria em uma ‘deli’ indiana’, aliás.

“Nem turco nem árabe. Esta marca é dinamarquesa. Tá no rótulo. Atrás…Só está escrito em árabe porque a comunidade islâmica adora cream cheese também”, arriscou uma outra consumidora.

“Turco, árabe, dinamarquês… O que importa é que minha qualidade de vida melhorou horrores depois que descobri o Puck!”, encerrou a outra nova consumidora.

“E ainda fica ótimo no recheio da jacked potato!”, concordaram todas.