As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Prefeito fala e garante: “O Cinema em Paulínia não acabou.”

Flavia Guerra

19 de abril de 2012 | 20h46

Enquanto não atende aos pedidos de entrevista solicitados por vários veículos de imprensa na última semana, quando anunciou o cancelamento do Festival de Cinema de Paulínia 2012, o prefeito José Pavan Jr. falou hoje sobre os projetos de música clássica do município.

 

concertospaulinia

Em coletiva de imprensa ocorrida na cidade, Pavan fez questão de explicar os detalhes dos orçamentos do Concertos Paulínia, anunciar as atrações desta nova temporada e ainda explicar que o Polo de Cinema, ao contrário do que muito preveêm, continua.

A seguir, como informou fonte fidedigna deste blog, Pavan afirmou que…

 

  • … o projeto de cinema em Paulínia “não terminou, de forma nenhuma. A única coisa que não vamos ter neste ano é “a festa”, o Festival, que exigiria dispêndio da ordem de uns R$ 10 milhões no espaço de 60 dias, um dinheiro que não teríamos. Tínhamos planos de obter apoios/patrocínios junto à iniciativa privada, mas só se conseguiu uma parte mínima desse pretendido apoio, impedindo então a realização do Festival neste ano. Só neste ano!”…

 

  • “A evidência de o projeto continua é que neste período Paulínia está alocando verbas compromissadas com vários filmes que têm filmagens prestes a serem iniciadas:  “Avenida Brasil, 1,4 mi, de Sergio Machado e O Tempo e o Vento, 1,4milhões, de Jaime Monjardim.”

   

  • …” muito em breve Paulínia vai ‘soltar’ edital ainda relativo a 2011, que está ainda atrasado por razões diversas.” 

 

  • Já na música clássica:

 

  • … o orçamento dos Concertos Paulínia foi reduzido em aproximadamente 30% 
  • … o orçamento do projeto para 2012 é da ordem de R$ 3,8 milhões
  •   
  • … o orçamento, efetivamente, seria muito maior se não houvesse apoios. Citou como exemplo que Paulínia paga apenas um pequeno pedaço dos custos com concerto da Orquestra do Maggio Musicale Fiorentino, com regência do Zubin Mehta; o pedaço maior, muito maior, vem do apoio dos governos italiano e de Florença para viabilizar a turnê. O mesmo raciocínio se aplica ao concerto do Orquesta Sinfónica Jovem de Colombia, que tem forte apoio do governo colombiano.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.