As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mostra de Cinema de SP 2013 – De Kubrick aos irmãos Coen

Flavia Guerra

07 de outubro de 2013 | 21h35

 

kubrick2.jpg

De Kubrick a Coen. A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo divulgou ontem a programação de sua 37ª edição e o que se viu foi uma seleção variada, que prima por incluir tanto uma amostra abrangente da mais recente produção mundial, como Inside Llewyn Davis, novo dos irmãos Coen, quanto resgatar clássicos de mestres como Stanley Kubrick e Eduardo Coutinho. Sem contar a atenção dada à obra de cineastas não tão conhecidos mas que têm uma produção consistente, como o filipino Lav Diaz, que também integra o júri que vai escolher o filme que vai receber o Troféu Bandeira Paulista. Se por um lado há atrações que podemos programar, como as retrospectivas, e o Foco Coreia deste ano, por outro há muito de jornalístico, pois temos de retratar a safra recente do cinema”, comentou Renata de Almeida, diretora da Mostra. “Recebemos mais de 1500 inscrições. Selecionamos 350. O desafio do cinema hoje é encontrar uma forma de exibir. Filmar se tornou muito mais possível com a digitalização”, observou Renata. “Nunca se fez tantos filmes!”

 O desafio de garimpar tanto os destaques que já chegam com o aval de importantes festivais internacionais quanto novos nomes é cada vez maior. A primeira lista conta com títulos como Cães Errantes (de Tsai Ming Liang, grande prêmio do Júri em Veneza), Inside Llewyn Davis (grande prêmio do júri em Cannes), Child’s Pose (Urso de Ouro em Berlim), Pais e Filhos (Kore-Eda, prêmio do Júri em Cannes), entre outros.

Mas é um mergulho na história de um dos maiores cineastas de todos os tempos um dos destaques desta Mostra. Stanley Kubrick ganha foco especial tanto com a exposição que leva seu nome e começa na quinta, dia 11, no Museu da Imagem e do Som, quanto na retrospectiva completa de sua filmografia, além do lançamento do livroConversas com Kubrick (Cosac Naify), do crítico francês Michel Ciment, que vem a São Paulo para o lançamento. A exibição no MIS traz a São Paulo um recorte da mostra que já rodou o mundo e que traz a público a oportunidade de conferir uma coleção que entrou para a história do cinema, como o figurino de Laranja Mecânica, os objetos de cena de O Iluminado, roteiros originais com anotações do diretor, fotos de bastidores, vídeos, áudios, entre tantas outras relíquias. “Vi esta mostra em Berlim. É incrível. E a exibição dos filmes, que começa agora, continua durante a Mostra”, explica Renata. Para completar, o poster desta edição foi criado por Christiane Kubrick, viúva do diretor, que vem para a abertura da Mostra para convidados, dia 17.

Confira aqui galeria de fotos com objetos da mostra Kubrick: http://fotos.estadao.com.br/mostra-kubrick-mostra-em-los-angeles-exibe-objetos-emblematicos-e-raros-da-obra-de-stanley-kubrick,galeria,6448,187946,,,0.htm?pPosicaoFoto=8#carousel

Esta edição marca também o segundo ano em que Renata realiza a Mostra sem seu criador, Leon Cakoff, falecido em outubro de 2011. “É um desafio. Pessoal e profissional. Mas faço a Mostra há 20 anos. Sempre atuamos muito juntos. A Mostra sempre teve minha cara também”, comenta a diretora. “Foi mais fácil que ano passado. Mais calmo e menos triste. Uma morte é sempre um terremoto. Fica tudo revirado e leva um tempo para que tudo reencontre seu lugar, que se encontre uma nova maneira de trabalhar”, continua. “O importante é que tenho uma equipe ótima. A Mostra é muito grande. Preciso deles para realizar coisas inventamos e temos de dar continuidade, como a exibição ao ar livre no Ibirapuera.”

Este ano a sessão ao ar livre contará com Nathan, O Sábio (1922), de Manfred Noa. O clássico do cinema mudo alemão vai ser exibido na área externa do Auditóriodo Ibirapuera no dia 26 de outubro.

mostra2013.jpg

Outra atração já clássica da Mostra, a seção no vão livre do MASP, este ano conta com parceria da Bienal de Arquitetura e traz o tema Cidades – Modos de Fazer, Modos de Usar e traz uma lista de filme que retratam a cidade de São Paulo. Entre os destaques, São Paulo S/ASinfonia de Uma Cidade, além do novo longa de Lina Chamie,São Silveste.

Para encerrar a edição 2013, em 31 de outubro, foi escolhido Que Estranho Chamar-se Federido – Scolla Conta Fellini, que vai ser exibido no dia exato em que se completam 20 anos da morte do diretor italiano. Ettore Scola, que realizou o retrato afetivo de seu grande amigo, é presença aguardada, mas ainda não confirmada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.