As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dracula de Dario Argento – O terror trash em 3D aterroriza a Croisette

Flavia Guerra

20 de maio de 2012 | 09h20

Dario Argento faz Drácula 3D

Flavia Guerra/Cannes

 Dario_Argento_Dracula_3D.jpg

Quem pode ser seu nome estampado na tela grande do mais badalado cinema do mundo, o Theatre Lumière, em Cannes? Dario Argento pode. O diretor italiano parou a Croisette na noite de sábado para desfilar com sua trupe a caminho da sessão mais trash e cult deste 65 Festival de Cannes. Dracula de Dario Argento reuniu os fãs do cinema dark, e principalmente do estilo único do diretor italiano, para uma das Sessões da Meia-Noite.

Depois de breve homenagem, de apresentação carinhosa de Thierry Frémaux, e muita expectativa, a projeção do épico em 3D começa. E termina após menos de um minuto. Quer dizer, termina não. Mas para. Tudo porque as lentes não estavam ajustadas. E o que seria a grande sensação em três dimensões se revelou um borrão. Depois de muitas vaias e gritos, Frémaux subiu ao palco e explicou que o ajuste levaria só alguns minutos.  Pouco depois, a sessão recomeçou. E a plateia aplaudiu feliz e encarou duas horas do terror cult de Argento.

argentonacroisette.jpg

Sessão da meia-noite para os fãs do terror

Vale ressaltar que, bem ao gosto do pai de Asia (que na trama vive a lânguida Lucy, a melhor amiga de Mina), o estilo é exagerado, over mesmo, em uma espécie de ‘terrir limpinho’, com direito a muito drama, uma dublagem irritante de tão  ‘perfeitinha’ e muito san. Mas é possível afirmar que Drácula de Francis Ford Coppola é infinitamente mais dark que o de Argento. Isso em uma análise rasa, sem nem mesmo comparar com tantas outras versões já clássicas da obra-prima de Bran Stoker. Há uma certa ‘limpeza estética’ neste Drácula. Grosso modo, há pouca gosma, nenhum verme ou vísceras saltando em três dimensões em direção à plateia. Mas há, claro,  muitos sustos, gritos, violência e  (pasmem!) até um gafanhoto gigante assassino.

Ame ou deixe. Mas nunca se pode sair indiferente de uma sessão de Argento. Drácula não tem data de estreia prevista no Brasil, mas que faria a alegria dos fãs do gênero, isso faria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.