Você é muito previsível

Felipe Machado

15 de fevereiro de 2011 | 10h37


Fergie é a garota propaganda de uma empresa de celular. Usar mulheres bonitas para vender celular? Ah, mas que coisa previsível

Um estudo publicado no final do ano passado pela revista Science revela que os seres humanos são previsíveis. Ora, não precisava nem ter investido tanto dinheiro para fazer essa pesquisa: era só ter perguntado pra mim.

O levantamento foi realizado por uma companhia de telefones celulares. Invasão de privacidade? Um pouco. Para as empresas de telefonia – ou para qualquer outra empresa, na verdade –, quanto mais informações forem obtidas sobre os hábitos de seus clientes, mais fácil criar produtos adequados a cada tipo de consumidor.

No caso das empresas de celular, descobrir por onde andam seus clientes é fácil. Verificando os dados de localização gerados pelas ligações telefônicas, o estudo revelou que é possível prever em até 93% o padrão de deslocamento das pessoas. 93%? Fala sério! Resumindo: você acha que é superaventureiro, faz coisas incríveis e adora conhecer lugares novos… Mas na realidade você passa praticamente a vida inteira trilhando os mesmos caminhos. Convenhamos: 93% é um número extremamente alto.

Desculpe te decepcionar. Você achava que ninguém sabia onde você estava? Errado. Você é previsível. E o pior é que agora isso está provado cientificamente.

Há um velho ditado em inglês que diz: Things change, people don’t. Ou seja, as coisas mudam, as pessoas, não. Isso é bom para aqueles homens e mulheres que pensam que podem mudar as pessoas ao seu lado: não podem. Em suas essências, elas não apenas frequentam os mesmos lugares, mas também seguem os mesmos padrões de vida.

Não quero, no entanto, fazer um juízo de valor sobre o fato de que as pessoas são previsíveis e que vamos todos os dias aos mesmos lugares. Acho que, no fundo, é por isso que conseguimos conviver em sociedade. Provavelmente o trânsito nas cidades seria ainda pior se não fosse assim. E se você acordasse todos os dias sem saber o que fazer? Ou aonde ir? A previsibilidade indica que existe uma certa rotina. Deve ser essa rotina que nos salva do caos.

Pense nisso quando ligar a chave do carro amanhã para ir ao trabalho. Que tal fazer um caminho diferente? E no final do dia, que tal fazer um happy hour em outro bar? Vamos provar para essas companhias telefônicas que temos nossa rotina, mas também não estamos confinados apenas ao limite das nossas gaiolinhas.

Sabe aquele passeio do qual você ouviu falar e nunca foi? Pois agora é hora de ir. Somos previsíveis, mas não somos ratos de laboratório. É para isso que existem os fins de semana.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.