Um mestre das letras

Estadão

04 de abril de 2007 | 10h42

col

No último fim de semana eu acabei de ler o excelente ‘O Mestre’, do irlandês Colm Tóibín. O livro conta a história (romanceada, não é uma biografia) de um curto período da vida do escritor norte-americano radicado em Londres Henry James. O livro se passa entre 1895 e 1899, época em que James (após uma mal-sucedida incursão pela dramaturgia, área em que perdeu para Oscar Wilde) escreveu alguns de seus principais livros, como ‘A Volta do Parafuso’ e ‘Os Embaixadores’.

Com uma mistura bem equilibrada de imaginação e pesquisa histórica (só a bibliografia já daria um livro), Tóibín prova por que é um grande escritor. Não é à toa que este livro foi indicado ao Booker Prize em 2004, assim como o também seu ‘Luz do Farol’. Tóibín consegue nos transportar para a Inglaterra daquela época, com todo o romantismo e atmosfera do momento. Admiro escritores assim: não consigo imaginar como alguém consegue se sentar ao computador hoje em dia e conceber um trabalho primoroso sobre um mundo que já não existe há tanto tempo. Seria mais fácil escrever sobre uma galáxia disante.

Eu queria ser Colm Tóibín. Ou, pelo menos, escrever como ele.

Quem se interessar, acesse o site do escritor. ‘O Mestre’ é da Cia. das Letras, assim como ‘Retrato de uma Senhora’, obra mais famosa de Henry James, que acaba de ser lançado em edição de bolso (mais barata, leia-se). Dois grandes livros, recomendo qualquer um dos dois para a Páscoa.