SPFW Inverno 2009 : Emoções na passarela

Estadão

26 de janeiro de 2009 | 12h23

Alessandra Ambrosio por Paulo Giandalia/AE

Alessandra Ambrósio e eu jantamos juntos no lounge do Estadão (quer dizer, ela ficou três minutos por lá e comeu um pedaço de pizza. Mas vale, né?)

No dia 18 de janeiro de 2009, eu vi a Gisele Bündchen desfilar. É um fato que contarei para os meus netos, como acontece com pessoas que viram Pelé marcar um gol ou Ayrton Senna ganhar uma corrida. Gisele é nossa Carmen Miranda pós-moderna – e sem as bananas.

Estou falando, claro, da presença de Gisele na São Paulo Fashion Week. Mais uma vez, fui obrigado a trabalhar no evento e a passar uma semana convivendo com mulheres maravilhosas. Foi um período muito difícil da minha vida, mas eu sobrevivi.

Depois do desfile, fui na festa em homenagem a Gisele, mas nem a vi por lá. Disseram que ela estava na área VIP do VIP do VIP do VIP, e eu estava apenas na área VIP do VIP do VIP. Foi a prova oficial de que não pertencemos ao mesmo mundo. Pena.

Pouca gente sabe, mas Gisele e eu temos muito em comum. Somos brasileiros, por exemplo. Descobri que ela tem uma cadela Yorkshire, a Vida; eu também tenho um cão dessa raça, o Nick. Ele, aliás, me latiu outro dia que está pensando em convidar a Vida pra jantar lá em casa. Eu apóio.

Além de Gisele, desfilou na SPFW uma modelo inglesa bem conhecida (hypada seria o termo em português), a tal da Agyness Deyn. O desfile foi na quarta-feira, mas até hoje não ouvi duas pessoas pronunciando esse nome da mesma maneira. Só agora descobri que ela se chama na verdade Laura Hollins, ou seja, um nome que realmente tem tu-do a ver com Agyness Deyn. Apelido fashion, não?

Mais fashion que isso, só eu assistindo ao desfile do Wilson Ranieri. Por acaso, a primeira fila do desfile ficou assim: Constanza Pascolato, Glória Kalil, eu, Doris Bicudo e Alexandra Farah. Ou seja, quem olhasse de fora deve ter imaginado ‘quem é esse cara?’ E eu lá, com a mão no queixo, fazendo cara de conteúdo… e para impressionar, eu ainda fingia que anotava alguma coisa toda vez que passava uma modelo… (na verdade, eu estava colando da Glória Kalil, que estava do meu lado).

Na SPFW aconteceu outra coisa que vai me marcar pelo resto dos meus dias: conheci a pessoa mais bonita que já eu vi na vida. Pense rápido: quem é a pessoa mais bonita que você já viu na vida? Pois é, a minha é a modelo Alessandra Ambrósio, que visitou o lounge do Estadão.

Para ser gentil, dei uma de anfitrião e perguntei se ela aceitava alguma coisa. Torci para que ela dissesse ‘sim, você’, mas infelizmente não rolou. Em vez disso, ela pediu um pedaço de pizza e uma água sem gás. Achei estranho modelo comer pizza, mas quando o garçom a serviu eu entendi: Alessandra deu uma mordida tão pequena que nem chegou a sentir o sabor do queijo. “Estou satisfeita”, disse. E foi embora, deixando uma pequena marca no pedaço de pizza, mas uma profunda marca no meu coração. Adeus, Alessandra. Volte sempre.

Entre os famosos, vi Larissa Maciel, a Maysa da TV. Quando a atriz passava pelo corredor, uma fã ficou tão emocionada que derrubou a cerveja no chão. Ela era tão fã que começou a cantar: ‘meu cooopo caiiiuuu…’ (Isso parece piada, mas não é)

Outro momento marcante foi o desfile de Ronaldo Fraga. Em vez de modelos, o estilista convidou crianças e pessoas com mais de 60 anos. Nunca achei que veria emoção em uma plateia tão blasé, mas as lágrimas deixaram muita gente com o rímel borrado. Eu não imaginava, mas dentro daqueles corpos magérrimos e elegantes batem corações como os nossos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.