O incrível Ronaldo dá a volta por cima. Outra vez

Estadão

09 de março de 2009 | 18h38

Robson Fernandjes/AE

Sensacional!

O gol de Ronaldo contra o Palmeiras não foi comemorado apenas por corintianos: foi a vitória da perseverança, da dedicação, da paixão, da esperança, da superação.

Eu estava assistindo ao jogo na Vila Madalena, em São Paulo, ao lado de um amigo corintiano e dois palmeirenses. Ou seja: nunca ouvi tantas piadinhas sobre homens acima do peso na minha vida. Do jeito que falavam do Ronaldo parecia que todo mundo ali era atleta, saudável, barriguinha-tanquinho (isso não poderia estar mais longe da realidade, mas deixa pra lá :-). Torcedores de outros times enchem a boca para falar que Ronaldo está gordo. Ninguém discorda, nem ele mesmo. Mas já dá para ver que ele está se recuperando rapidamente. E acho que esses torcedores devem tratar com mais respeito o maior artilheiro da história das copas do mundo e um dos maiores jogadores da história do futebol em todos os tempos. Pô, o cara ficou um tempão machucado, dá um tempo! Ele ficou sem jogar durante um ano! Tudo bem, futebol é assim mesmo. Paixão e ódio dividem o mesmo campo…

Voltando ao jogo, o que eu achei mais legal foi ver a Vila Madalena inteira pulando com o gol do Corinthians. Parecia que eu estava vendo uma vitória da Seleção Brasileira contra a Argentina numa Copa do Mundo (desculpe o exagero).

RRRRRRonaldo!!!

De qualquer maneira, foi incrível ver o R9 marcar um golaço de cabeça, ainda mais do jeito mais corintiano possível: aos 47 do segundo tempo (e contra o Palmeiras, nosso maior rival). E foi histórico também: agora, dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro, apenas Pelé não marcou gol vestindo o manto sagrado do Timão (Garrincha, Rivelino e Sócrates marcaram).

(Sim, isso é papo de corintiano. Afinal, nunca ganhamos uma Libertadores, mas fomos campeões mundiais pela Fifa em 2000)

Parabéns, Ronaldo, por você acreditar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.