O Dia do Namorado perfeito

Estadão

04 de junho de 2010 | 11h21

Chris Garneau: Trilha sonora perfeita para o Dia dos Namorados

Os comerciais com labradores correndo pela praia e casais sorrindo enquanto colocam torradas com margarina um na boca do outro já começam a invadir o horário nobre. (Nunca entendi por que esses casais sorriem tanto nessas cenas, será que café da manhã é uma coisa tão engraçada assim?)

Os donos de floriculturas já contrataram mão de obra extra. Os gerentes de motel estão usando amaciante importado nas roupas de cama. Em alguns dias teremos brigas por vagas nos estacionamentos dos shoppings e restaurantes com filas até para ler a capa do cardápio.

Por quê? Porque 12 de junho é o Dia dos Namorados.

As namoradas sempre querem fazer algo especial nessa data. Você pode achar que elas desejam isso para se sentirem amadas e valorizadas. Nada disso. A razão verdadeira é bem menos nobre: elas querem subsídios para contar vantagem para as amigas. O que seria então, do ponto de vista feminino, um Dia dos Namorados perfeito? Vou tentar adivinhar.

Em primeiro lugar, tem que cair no sábado – o que acontecerá este ano. Ou seja: mesmo sem querer, você já começou bem.

Toda mulher gosta de ser acordada com café na cama, mas vamos supor que você não more com sua namorada. O mínimo que você pode fazer é mandar para a casa dela uma cesta de café da manhã acompanhada, claro, de uma dúzia de rosas e um cartão cheio de elogios. Lembre-se que, como diz o publicitário Washington Olivetto, o cartão é sempre mais importante que as flores. Portanto, esqueça ‘Feliz Dia dos Namorados’ e capriche em uma frase que a remeta a algum momento marcante do namoro; uma música, um filme que vocês viram juntos. Além de ser menos manjado, ela vai achar você criativo.

Sua namorada vai ligar para agradecer, e daí você já engata o convite para o almoço. Escolha um lugar cheio de gente, animado (hypado, como se diz em português), para ela ver que você é um cara para cima, que sabe viver a vida. E, pelo menos hoje, esqueça o escorpião que mora no seu bolso e pague a conta sozinho (você não imagina como isso vai ganhar pontos com as amigas dela).

Após o almoço vá ao cinema, programinha leve e romântico (por favor não leve a garota para ver ‘Guerra ao Terror’). Na sequência, um café, um sorvete ou uma caminhada são maneiras simpáticas de esperar pelo prato principal: o jantar à luz de velas. Se for na sua casa, melhor, para evitar restaurantes lotados. Não sirva nada com alho ou cebola. Nem churrasco, por mais que pareça uma boa ideia. Tem que ser algo leve. E é claro que já tinha deixado champanhe e morangos na geladeira. O resto é com você. Saúde.

Feliz Dia dos Namorados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.