O amor não tem moral

Estadão

29 Maio 2007 | 10h31

No último fim de semana, fui a um casamento de uma amiga no interior. Prosecco para lá, prosecco para cá, perguntei a alguém (depois de tanto prosecco, não lembro nem quem era) como os noivos haviam se conhecido. Foi então que ouvi a seguinte história.

A noiva – na época ainda não era noiva, claro – estava numa boate com umas amigas. Noite chata, daquelas que a gente fica enrolando para ver se a balada pega no tranco enquanto pensa qual será o filme que vem depois do Jornal da Globo. “Acho que vou fumar um último cigarrinho antes de ir embora”, decide, finalmente.

(É incrível como o cigarro serve como uma unidade de tempo para algumas pessoas.)

Foi aí que, em meio a uma nuvem mágica (fumaça de cigarro, para os menos românticos) apareceu do nada um cara alto de olhos verdes.
“Oi, tudo bem? Será que você tem um outro cigarro?”
“Deixa eu ver. Tenho, sim. Só que é light.”
“Não tem problema. Depois do dia que eu tive hoje aceito qualquer coisa light.”
“Seu dia foi tão ruim assim? Aconteceu alguma coisa?”
“Não, acho que estou exagerando. É que eu trabalho numa agência de publicidade e estou numa campanha de sabão em pó…”

Para bom entendedor, meio diálogo basta. Os dois começaram a conversar, ela acabou esquecendo do filme que vinha depois do Jornal da Globo e o dia dele, que tinha sido péssimo no trabalho, tornou-se um dos mais inesquecíveis de toda a sua vida. E tudo por causa do quê? De um cigarro.
Que conclusão podemos tirar? Que há males que vêm para o bem, por exemplo. Fumar é uma coisa péssima, faz mal à saúde, provoca câncer. Mas talvez minha amiga estivesse solteira até hoje se não tivesse acendido um cigarro naquele exato momento.

Acontece direto. A psiquiatra que se apaixona pelo maluco; o casal que se conhece na reunião dos Alcoólatras Anônimos; o hipocondríaco que se apaixona pela mocinha do balcão da farmácia. O amor não tem moral, ele não vê diferença entre o bem e o mal. E também não entende a ética: é um sentimento vale-tudo. O Deus do amor escreve certo por corações tortos. Ou por pulmões tortos, como no caso da minha amiga.