Meu reino por uma casa na árvore

Estadão

24 de junho de 2008 | 19h00

casanaarvore

Daquela série ‘às vezes é bom morar em São Paulo’, no último sábado dei uma escapada da São Paulo Fashion Week e fui visitar a CasaCor. Para quem não é daqui, é um evento no Jockey Clube que reúne diversos ambientes criados por arquitetos e decoradores top.

(Sim, minha mulher me obrigou a ir, antes que alguém pergunte. E eu gostei bastante, antes que alguém também pergunte.)

O legal de ir a um lugar assim é que dá para tirar idéias para sua casa… quer dizer, mais ou menos. Eu adoraria ter em casa a garagem criada por Felipe Diniz, mas daí eu teria que vender todos os meus móveis. Por outro lado, se eu tivesse a cozinha criada por Simone Goltcher, talvez eu aprendesse a cozinhar. Gostei também da sala de música de Denise Barreto, que é bem simples, mas é uma sala de música. Imagina só ter em casa uma sala só para ouvir música, trancada por dentro, isolada do mundo? Acho que só o conceito já é um sonho…

Outros ambientes legais: o quarto de hóspedes de Myrna Porcaro (eu até perguntei se eu podia me mudar para lá e me tornar um hóspede fixo); o quarto de adolescente de Marí Aní Oglouyan (se eu tivesse um quarto daqueles na adolescência tudo seria diferente); o hall em homenagem a Oscar Niemeyer feito por Ruy Ohtake (supercolorido, bem diferente das obras cinzentas de concreto do nosso último comunista).

O que eu mais gostei na visita, porém, foi uma Casa na Árvore. É isso mesmo, uma casa na árvore, daquelas que a gente sonha na infância. E qual não foi minha surpresa ao ver que a casa tinha sido feita justamente por um amigo de infância, Fred Benedetti, junto com sua mulher, Fernanda. Quando eu era criança, minha turma do prédio até chegou a ter uma espécie de casa na árvore urbana, ou seja, um cubículo enfurnado no playground de um condomínio. Mas essa aqui é bem diferente: tem 34 m2, espaçosa, pode ser desmontada e montada em outro lugar, etc. Se casas em árvores recebessem classificação, esta seria uma Casa na Árvore cinco estrelas, se é que você me entende. Voltei para o meu apartamento pensando seriamente em plantar uma árvore na varanda…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.