Hi-5 – Cinco sentidos: Meu primeiro show

Estadão

30 de março de 2009 | 12h37

Hi-5

No sábado, fiz um programa especial com minha filha de dois anos: fomos ver o show ‘Hi-5 – Cinco Sentidos’ no Via Funchal. Ela adorou: dançou, cantou as musiquinhas, brincou com outras crianças (entre elas, a prima Laurinha), etc. No domingo à noite, deixei a Bebel assistindo à TV e fui tomar banho. Quando voltei, ela não estava mais lá: tinha ligado meu computador e, não me perguntem como, escreveu o texto que reproduzo aqui.

Papy,

obrigado por ter me levado ao meu primeiro show. Eu sei que já tínhamos ido à apresentação do Backyardigans, mas eu era muito pequenininha e nem lembro direito. Ontem, não: foi legal ver ao vivo as músicas que o Hi-5 canta na TV. Quer dizer, eles são meio diferentes na TV, acho que não são os mesmos atores. Lembro até que você comentou com o tio que os nossos Hi-5 eram mais legais que os originais. Como sempre, eu concordo com você, papai. Se são outras pessoas, por que os nomes deles eram os mesmos da TV? Eu não sabia que eles eram considerados personagens. Achei que eram cinco crianças mesmo.

Minhas músicas favoritas foram ‘Robô Número 1’, ‘Norte Sul Leste Oeste’ e ‘Pizza’. Aliás, papai, você sabe que eu adoro pizza. Você não gostaria de pedir uma hoje à noite? Eu quero!

Eles também cantaram a música que toca na abertura do programa, claro, que é o maior sucesso. Obrigado por ter me levado lá na frente para ver os Hi-5 de perto. Só não entendi uma coisa: Ainda não sei ler, mas vi você dizendo que o programa traz os nomes de Daniel Henares, Herbert Didone, Jhafiny Lima, Larissa Lia Porrino, Maria Clara Trindade, Mariana Pio, Pâmela Santiago, Raquel Higa, Sandre Hocha e Thiago Kozonoi… ué, papai, são cinco pessoas em cena, por que o programa traz dez nomes? Será que eles são como jogadores de futebol, cada um tem um reserva? Sei lá.

De qualquer jeito, foi um show muito legal. A produção era um pouco simples, mas funcionou superbem, até porque o principal ali são as cores do cenário, as músicas e as coreografias. Pelo menos na minha opinião de fã. A trilha sonora não é tão boa quanto a do Backyardigans, né? Mas as letras são bonitinhas e funcionam bem ao vivo, até porque os refrões são tão fáceis que até eu sabia cantar…

Beijos pra prima Laurinha e pra você, papai. Te amo.

Bebel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.