Eu queria ser Martin Scorsese

Estadão

26 Fevereiro 2007 | 13h10

Martin

A Academia me fez pagar a língua. Apostei tudo o que tenho (mentira) que o Martin Scorsese não ia levar o prêmio de Melhor Diretor, e ele não só levou este como ainda ganhou o de Melhor Filme. Depois de sete indicações, finalmente a Academia fez justiça ao Martin.

Minhas justificativas são boas, mas não podem ir contra a realidade. Adorei ‘Os Infiltrados’, acho que é um filme que tem um roteiro super bem amarrado, atuações excelentes e um elenco de tirar o fôlego. Mas eu subestimei o poder de compensação da Academia. O mesmo Scorsese, que não ganhou o Oscar por obras-primas como ‘Taxi Driver’, ‘Touro Indomável’ e ‘Bons Companheiros’, foi ganhar por ‘Os Infiltrados’.

Além disso, o que contava contra o filme (na minha humilde opinião) é que trata-se de um roteiro adaptado de uma produção de Hong Kong, ‘Internal Affairs’. A Academia gosta de premiar obras de seus pupilos, mas abriu exceção desta vez.

Quem deveria ganhar, então? ‘Babel’ era o mais forte candidato por ter ganhado diversos prêmios em todo o mundo, inclusive o Globo de Ouro. Mas acho que ‘Babel’ tem uma história muito parecida (na estrutura) com ‘Crash’, que ganhou no ano passado. Histórias que se interligam, destinos que se cruzam, etc. ‘Pequena Miss Sunshhine’ eu ainda não tive a oportunidade de ver, mas ouvi muitos e bons comentários. É uma história simples, a da menina feinha que quer disputar um concurso de beleza. Peraí, não tem um episódio do Simpsons que a Lisa faz exatamente isso?

‘Cartas de Iwo Jima’ é maravilhoso, tem uma direção impecável do Clint Eastwood. Que, por sua vez, é queridinho da América e da Academia. Mas o filme é inteiro em japonês, o que dificulta ganhar qualquer prêmio. Os integrantes do júri do Oscar não gostam de ler legendas.

Sobraram ‘A Rainha’ e ‘Os Infiltrados’. Deram o Oscar para Helen Mirren (que aliás estava uma gata em seus 61 anos, quero voltar a este tema em breve) como Melhor Atriz e o Oscar caiu no colo do Scorses. Pensando bem, faz todo o sentido. Eu é que não tinha feito a análise correta antes.