Eu não tenho a menor idéia

Estadão

19 de junho de 2008 | 09h26

flores

Há momentos na vida em que temos que ser humildes e dizer: eu não tenho a menor idéia do que você está falando. Apesar de me considerar bem informado sobre vários assuntos, admito que existem certos temas sobre os quais eu não entendo absolutamente nada. Plantas, por exemplo.

Foi por isso que estranhei quando minha mulher me convidou para comprar plantas no Ceagesp. Mas como a última palavra em casa é sempre minha (“sim, querida”), acabei aceitando.

Nunca imaginei que ir ao Ceagesp era um programa tão popular. Me senti como o cara que viaja para o exterior e recebe um monte de encomendas para comprar caixas de whisky no FreeShop. Minha mãe, por exemplo, foi categórica: “ah, você vai no Ceagesp? Então aproveita e me traz umas mudinhas de ráfia”. Concordei, o que prova que não tenho a menor idéia do que ela estava falando. Lá descobri que cada mudinha de ráfia era praticamente uma árvore. Coloquei as três no carro e voltei de táxi.

Antes de ir ao Ceagesp, eu imaginava que existiam apenas dois tipos de plantas: verdes e coloridas, também chamadas de ‘flores’ pelos especialistas. Agora sei que há vários outros modelos: plantas altas, plantas baixas, plantas que ficam em vasos grandes, plantas que se enroscam pelas paredes. Deixei a humildade plantada em algum vaso do Ceagesp e hoje também me considero praticamente um expert no assunto.

Descobri também que há várias espécies de flores, algo que eu já desconfiava desde que passei pela primeira vez na frente daquelas barraquinhas da Avenida Dr. Arnaldo. Minhas flores favoritas (mesmo antes de eu me tornar um especialista) sempre foram as rosas amarelas: são menos óbvias que as vermelhas e menos fúnebres que as brancas. Mas acho que elas andam em falta no mercado; pelo menos foi isso que me informaram na floricultura onde tentei comprar flores para minha mulher na última quinta-feira, Dia dos Namorados. Como não encontrei as rosas amarelas, acabei não comprando nada. Quando cheguei em casa e levei uma bronca, só me restou fingir que não era comigo.

Flores? Que flores? Eu não tenho a menor idéia do que você está falando.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.