Essas misteriosas ligações

Estadão

24 de agosto de 2010 | 09h02

kylie-minogue

Kylie Minogue: A cantora australiana tem uma ligação misteriosa com ‘Aphrodite’, a deusa do amor. Na verdade, nem é tão misteriosa assim: é apenas o nome do novo disco dela

Há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia. A frase é um clichê, mas não consegui evitar. Porque o tema da coluna de hoje é, inclusive para mim, um grande mistério. Com um agravante: quando se trata de amor, o número de mistérios é ainda maior. Você saberia dizer por quê, por exemplo, um casal se apaixona?

‘Porque foram feitos um para o outro’, algum romântico vai dizer. ‘Porque suas personalidades se completam e criam um outro ser mais evoluído’, arriscaria o psicólogo de plantão. Já os mais empolgadinhos não teriam dúvidas: diriam, entre risinhos, que é ‘porque estão tão atraídos um pelo outro que não veem a hora de ir para a cama’.

Tudo isso é verdade. Ou, pelo menos, poderia ser. Porém, é óbvio que não há uma única razão, mas uma combinação de fatores e momentos propícios. Ou, em linguagem popular, acontece quando você encontra a pessoa certa no lugar certo.

Há, no entanto, um outro componente que dificilmente apareceria nessas listas. Um amigo meu chama esse componente de ‘liga’. Apesar de ser uma expressão esquisita – e denominar algo ainda mais abstrato –, tenho certeza de que você sabe do que eu estou falando.

A ‘liga’ é aquela luzinha que acende quando estamos perto de alguém que nos atrai. Essa abreviação de ‘ligação’ representa o que está por trás desse sentimento tão inexplicável.

Vamos à parte prática, que é sempre mais interessante. Imagine duas loiras maravilhosas conversando em um bar (você pode imaginar dois morenos saradões, se for mulher). Você chega como quem não quer nada, oferece uma bebida, pergunta se a cadeira está vazia, tenta puxar um papo de alguma maneira. Aí você descobre que as duas são ainda mais lindas de perto, simpáticas, divertidas. E daí rola o inevitável: você se apaixona por uma delas. Por que você caiu de amores por uma e não pela outra? Bem, pode haver uma série de razões. Mas tenho certeza de que você não saberia definir com palavras pelo menos uma dessas razões : é exatamente isso que é a ‘liga’. Você criou uma ligação com uma delas e não com a outra. Por quê? Sei lá, mas boa sorte.

Infelizmente, a ‘liga’ também funciona negativamente. É isso que impede casais legais de dar sequência a eventuais romances. O cara convida a garota para jantar. Ambos são bonitos, bem sucedidos, interessantes. E daí a coisa não vai para a frente. Por quê? Porque tudo estava certo, menos a ‘liga’.

Só não me pergunte o que fazer para a ‘liga’ aparecer na sua vida: há mais mistérios entre a razão e o amor do que sonha a nossa vã filosofia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: