Dois ídolos

Estadão

10 de dezembro de 2006 | 17h35

Yunus

Orhan Pamuk

Dois homens maravilhosos:

1. Muhammad Yunus, de Bangladesh,que recebeu ontem o Prêmio Nobel da Paz. O economista de 66 anos criou o Grameen Bank, que disponibiliza microcrédito para pobres. A maior parte do dinheiro vai para mulheres e donas de casa que, cá entre nós, são bem melhores para administrar o dinheiro da família do que nós, homens. É bem melhor emprestar dinheiro para as pessoas abrirem seu próprio negócio do que dar uma esmola todo mês. Vocês conhecem alguém que faz isso? Lamentável, ainda mais depois de um exemplo como o de Yunus. Enquanto isso, o BNDES, sustentado com o SEU dinheiro, financia a infra-estrutura da Venezuela…

2. Orhan Pamuk, da Turquia, que também recebeu ontem um prêmio Nobel, o de Literatura. Confesso: nunca li seu trabalho (‘Meu Nome é Vermelho’ está na minha cabeceira há seis meses), mas só o fato de ele ganhar um Nobel já me deixa morrendo de inveja (no bom sentido, claro). Só pretendo concorrer ao prêmio Nobel no ano que vem, quando sair meu segundo romance. (Isso é uma piada, para quem faz questão de não entender a minha ironia). Aliás, por acaso eu já contei aqui que eu tenho um romance publicado? Ele se chama ‘Olhos Cor de Chuva’, saiu em 2002 pela Editora Escrituras. Ele continua à venda nas boas casas do ramo ou pela internet, no site da editora ou no Submarino. A capa é esta (abaixo).

Olhos Cor de Chuva

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.